O FLUMINENSE ENGATOU A TERCEIRA VITÓRIA CONSECUTIVA por 1 x 0, todas com gols de estrangeiros. Após perder para o Bangu por 1 x 0 na estreia, ganhou do Madureira com o gol do colombiano Jhon Arias, que repetiu no Fla-Flu de ontem (6), no estádio Nilton Santos, após vencer o Audax com o gol do argentino Cano. Vice-líder com 9 pontos, o Fluminense só cairá para o 3º lugar, se o Botafogo, com 7, vencer o Nova Iguaçu, na noite de hoje (7).

O GOL QUE DECIDIU O FLA-FLU foi do atacante Jhon Arias, de 24 anos, 1,73m, completando de cabeça a falta batida com precisão pelo meia Yago. O clássico poderia ter sido recheado de gols, mas algumas das melhores chances pararam na segurança dos goleiros Hugo e Marcos Felipe, que se sobressaiu no final, defendendo chute de Gabriel e cabeçada de Lazaro. Hugo já havia feito boa defesa no 1º tempo, em finalização de Willian aos 28 minutos.

SEMPRE ATUALIZADO COM A EVOLUÇÃO do futebol, Abel Braga elogiou a postura do time, que completou três jogos seguidos sem sofrer gol: “É uma vitória para aumentar a confiança porque não foi conseguida sobre um adversário vulgar, mas de muita qualidade e com excelentes valores”. O que o técnico faz questão de destacar, é que a fase de ajuste do início da temporada pode fazer a equipe eliminar os erros e aumentar o entrosamento em todos os setores.

O ESQUEMA COM TRÊS ZAGUEIROS tem evoluído. O time que venceu o Fla-Flu teve Marcos Felipe, entre os melhores do clássico, Nino, David Braz e Felipe Melo (Martinelli, 24 do 2º tempo); Samuel Xavier (Calegari, intervalo), André, Yago e Cristiano; Willian (Jhon Arias, 25 do 2º tempo), Fred (Cano, 16 do 2º tempo) e Luis Henrique (Nonato, 43 do 2º tempo) – o time que iniciou terá a base repetida para o clássico da 5ª rodada com o Botafogo, 5ª feira (10), no estádio Nilton Santos.

O SEGUNDO JOGO DO TÉCNICO português Paulo Sousa foi o primeiro do Flamengo com a equipe completa, mas com o rendimento ainda bem distante do ideal: Hugo, Rodinei (Isla, 39 do 2º tempo), Gustavo Henrique, Leo Pereira e Filipe Luis; Arão, Diego (Marinho, 7 do 2º tempo), Andreas (João Gomes, 16 do 2º tempo) e Everton Ribeiro (Vitinho, 15 do 2º tempo); Gabriel e Arrascaeta (Lazaro, 39 do 2º tempo). “Os jogadores não entenderam o que pedi” – resumiu o técnico.

AS EXPULSÕES – O árbitro Alexandre Jesus, carioca de 32 anos, aplicou 10 cartões amarelos: Hugo, Gustavo Henrique, Leo Pereira, Diego, Marinho e Andreas, e os do Fluminense em Felipe Melo, David Braz, André e Cristiano. Acertou também nas expulsões de Calegari e Vitinho, que deu um soco no lateral do Fluminense, aos 35 do 2º tempo. Foi bem orientado pelo VAR e não marcou pênalti na bola no braço de Nino e na queda de Willian na área do Flamengo.

O FLUMINENSE usou suas redes sociais, logo após o jogo, para se posicionar contra a possível manifestação racista de torcedores, que teriam chamado o atacante Gabriel de macaco. O Flamengo também defendeu o jogador, que resumiu: “Tenho orgulho da minha raça”. Com a primeira derrota, o Flamengo está em 4º com 7 pontos. A Portuguesa venceu o Bangu por 1 x 0 e está em 5º, com a mesma pontuação, mas em desvantagem no saldo de gols (3 a 1).

Foto: Lance!