Escolha uma Página

O atacante Lucca, autor dos dois gols da última vitória – 2 x 1, de virada, sobre o Sport, no Recife, dia 10 de julho -, abriu caminho para o Fluminense voltar a vencer 52 dias depois, com 2 x 0 no Bahia, na noite de ontem (30), na reabertura do Maracanã. O atacante argentino Raul Bobadilla fez o segundo gol, e com a quinta vitória, o Fluminense subiu três posições, terminando a rodada em décimo terceiro, com 21 dos 51 pontos disputados em 17 rodadas. O time volta ao Maracanã, quinta (2), para o jogo adiado com o Juventude, e encerra o turno, terça (7), como visitante, com a Chapecoense. 

GOLS SALVADORES – Fluminense 2 x 0 Bahia foi de baixo nível técnico, bem de acordo com a campanha dos times. Os gols salvaram o jogo, principalmente o de Lucca, em bela cobrança de falta, no ângulo, aos 36 minutos. O Fluminense é o oitavo clube do maranhense Lucca Borges de Brito, de 31 anos, do Alto do Parnaíba, que teve três passagens pelo Criciúma, Chapecoense, Cruzeiro, Corinthians, Ponte Preta, Internacional e Al-Rayann do Catar.

O PRIMEIRO – Opção usada com alguma frequência, o atacante Raul Bobadilla, de 34 anos, argentino da província de Formosa, consolidou a vitória, marcando o primeiro gol com a camisa do Fluminense, que defenderá até abril de 2022, emprestado pelo Guarani. O Fluminense é o oitavo clube de Bobadilla, desde 2005 no River; nos suíços Grasshopper, Young Boys e Basel; no alemão Augsburg; no Argentinos Juniors, e no Guarani do Paraguai. Ele aproveitou bem o rebote do goleiro, após falta de Cazares, aos 51 do segundo tempo, sem que o Bahia tenha tido tempo para nova saída.

TABU MANTIDO – Foi o Fluminense x Bahia de número 51, com 24 vitórias do Fluminense, 10 do Bahia e 17 empates. No Campeonato Brasileiro, jogo 46, com 22 vitórias do Fluminense, 9 do Bahia e 15 empates. O Fluminense não perde do Bahia, no Maracanã, desde 1987: oito vitórias, quatro empates. O Bahia venceu o Fluminense em 1990, nas Laranjeiras, por 4 x 1, e em 2001, por 1 x 0, no então Engenhão, hoje estádio Nilton Santos.

ARTILHEIRO SENTIU – Fred foi substituído aos 21 do segundo tempo e teve que sair de maca, após a falta dura do meia Patrick de Lucca. Desde 2003, quando o Brasileiro passou a ser por pontos corridos, o maior artilheiro marcou 150 gols: 93 pelo Fluminense, 32 pelo Cruzeiro e 25 pelo Atlético. Fred teve gol aos oito minutos do segundo tempo, por impedimento, bem assinalado pela assistente Leila Naiara Cruz, de 33 anos, primeira árbitra do Distrito Federal na Série A.

MARCOS FELIPE, Samuel Xavier, Nino, Lucas Claro e Danilo Barcelos; André, Martinelli e Yago; Jhon Arias (Manoel), Fred (Raul Bobadilla) e Lucca (Cazares) – o Fluminense da primeira vitória em três jogos, na volta do técnico Marcão, que ficou sem os atacantes Luis Henrique e Abel Hernandez, suspensos. Décimo terceiro com 21 pontos – 5 vitórias, 6 empates, 6 derrotas -, o time ainda está com saldo devedor de três gols (15 a 18). 

MÁ ESTREIA – Técnico de campanhas discretas no Godoy Cruz, Argentinos Juniors e San Lorenzo, Diego Dabove, de 48 anos, começou como treinador de goleiro, posição em que jogou, em equipes médias. Além de não livrar o Bahia da sétima derrota, seis sem fazer gol, não mostrou novidade. Bom lembrar: nos últimos oito jogos, o Bahia só fez gol no 1 x 1 com o Cuiabá e na derrota por 2 x 1 para o Atlético Goianiense, quando demitiu o técnico pernambucano Dado Cavalcanti, de 40 anos, campeão da Copa do Nordeste 2021. As seis derrotas sem gol: 1 x 0 São Paulo; 5 x 0 Flamengo; 3 x 0 Atlético Mineiro, 1 x 0 Sport; 2 x 0 Grêmio e 2 x 0 Fluminense.

FORTALEZA EMPATA E FICA EM TERCEIRO

O Fortaleza poderia ter ficado igual em pontos (35) ao vice-líder Palmeiras, e a quatro do líder Atlético Mineiro (39), mas não saiu do 0 x 0 com o Cuiabá, na noite de ontem (30), na Arena Castelão, e fica em terceiro lugar com 32 pontos, só mais um ponto que o Bragantino, que completa o G-4, com 32 pontos. Foi a primeira vez que Fortaleza e Cuiabá fizeram confronto pela Série A, depois de se enfrentarem em doze jogos na Série C.

ESTREANTE – A novidade no Fortaleza foi a estreia do meia Lucas Lima, de 31 anos, revelado no Santos e emprestado pelo Palmeiras ao tricampeão cearense. Ele entrou no intervalo no lugar de Éderson e teve atuação elogiada pelo técnico argentino Juan Pablo Vojvoda. Foi o terceiro empate consecutivo do Fortaleza, após 1 x 1 com Santos e Juventude, e o Cuiabá, do técnico Jorginho, lateral do tetra, chegou ao quinto jogo sem perder (três empates, duas vitórias).

TRÊS DE CADA – Foi o terceiro 0 x 0 da penúltima rodada do turno, terceiro do Fortaleza (0 x 0 com Grêmio e Atlético Goianiense) e terceiro do Cuiabá (0 x 0 com Internacional e Sport). Terceiro com 33 pontos, o Fortaleza tem 9 vitórias e saldo de 11 gols (27 a 16). Décimo quinto com 21 pontos, o Cuiabá tem 4 vitórias, empatou o nono jogo, só perdeu cinco, mas tem saldo negativo de 1 gol (17 a 18).

NOVO TÉCNICO DO CEARÁ

Um dia depois de demitir o paulista Guto Ferreira, que deixou o time em oitavo lugar, o Ceará anunciou ontem (30) a contratação do gaúcho Tiago Nunes, de 41 anos, até dezembro de 2022. Seu último título foi o de campeão gaúcho de 2021 com o Grêmio, depois de ganhar em 2018 o Campeonato Paranaense e a Copa Sul-Americana e em 2019 a Copa Sul-Americana e a Copa do Brasil com o Athletico Paranaense.