Escolha uma Página

O Fluminense deixou bem encaminhada e praticamente garantida a vaga nas quartas de final da Copa Sul-Americana, ao vencer (2 x 0) o Deportivo Cuenca, no jogo de ida das oitavas, na noite desta quinta (20), no estádio Rodrigo Paz Delgado, da LDU, em Quito. O jogo de volta será dia 4 de outubro, no Maracanã, e o adversários das quartas de final deverá ser o San Lorenzo, que ganhou (3 x 1) o jogo de ida na Argentina, e pode perder até por dois gols o jogo da volta, com o Nacional do Uruguai, na próxima terça (25), em Montevidéu.

BOA EXIBIÇÃO – O Fluminense fez boa exibição no décimo sexto jogo sob o comando do técnico mineiro Marcelo Oliveira e ganhou com um gol em cada tempo. Everaldo fez seu primeiro gol aos 23, com passe de Luciano, e seis minutos depois quase marcou o segundo, ao acertar o travessão em chute de fora da área. O Deportivo Cuenca iniciou pressionando, mas o Fluminense suportou bem e assumiu o controle do jogo a partir dos 20 minutos.

GOL ANULADO – O início do Fluminense no segundo tempo não foi bom e contou com ajuda do árbitro Alexis Herrera, da Venezuela, que logo aos dois minutos anulou mal um gol contra do zagueiro Gum, desviando o cruzamento rasteiro do meia Pita, que não estava impedido. Logo a seguir o Deportivo Cuenca perdeu a chance do empate com a cabeçada do  zagueiro Luca Sosa na trave direita.

AQUELE PIQUE! O segundo gol, tranquilizando de vez o Fluminense, foi de Luciano, aos 38, livre na pequena área, após o pique do lateral Airton, do próprio campo, passando na corrida por quatro marcadores e tocando rasteiro para Luciano fazer 2 x 0. Vale destacar que o jovem goleiro Brian Heras, 23 anos, 1,87m, nascido em 17 de abril de 95, em Cuenca, teve boa participação, evitando que o Fluminense marcasse, pelo menos, mais dois gols.

MUDANÇA CERTA – O Fluminense apresentou mais desenvoltura no rendimento com a mudança do técnico Marcelo Oliveira, que adotou o esquema com três zagueiros – Ibañez, Gum e Digão, que reapareceu -, liberando os alas Léo e Airton, que avançaram com mais frequência. Embora alguns jogadores tenham deitado em campo, assim que o jogo acabou, a equipe suportou bem a altitude de 2.850 metros de Quito, capital e segunda maior cidade – a primeira é Guaiaquil – do Equador, país localizado no noroeste da América do Sul.

DOIS CAPITÃES – O meia equatoriano Júnior Sornoza foi escolhido capitão e ao ser substituído por Marcos Júnior, aos 24 do segundo tempo, passou a braçadeira para o zagueiro Gum. Escalação – Julio Cesar, Ibañez, Gum e Digão; Léo, Richard, Jadson, Sornoza (Marcos Júnior) e Airton; Everaldo (Mateus Alessandro, 32 do segundo tempo) e Luciano (Caio, 40 do segundo tempo). 

AMARELOS – O árbitro venezuelano Alexis Herrera mostrou quatro cartões, para o lateral Cuero e o zagueiro Bedoya, e para o goleiro Julio Cesar, aos 31 do segundo tempo, por retardar o jogo, e o atacante Mateus Alessandro, aos 42 do segundo tempo, por falta no lateral Carabalí. O Deportivo Cuenca jogou de uniforme vermelho e o Fluminense todo de branco.

AINDA TRISTEZA – O ambiente no estádio ainda era de tristeza pela eliminação, na noite anterior (quarta, 19) da LDU – Liga Deportiva Universitária -, de Quito, que perdeu (3 x 1, nos pênaltis) para o Deportivo Cali (Colômbia), que devolveu o 1 x 0 da derrota no primeiro jogo. O goleiro colombiano Vargas defendeu três pênaltis, garantindo a classificação do Deportivo Cali, pela primeira vez, para as quartas de final da Copa Sul-Americana.

Foto: Lucas Merçon/ FFC