Escolha uma Página

A PERDA DO TÍTULO, nos pênaltis, não diminui nem deslustra, em nada, a campanha do Fortaleza, primeiro time do Nordeste na decisão da Copa Sul-Americana, em excelente final com a LDU, na noite de ontem (28), no Estádio Domingo Burgueño, em Maldonado, cidade turistica do Uruguai, a 129 km da capital Montevidéu. O Fortaleza entrou no grupo seleto dos seis brasileiros vice-campeões: Internacional, Flamengo, Fluminense, Ponte Preta e Goiás.

ANTES, E ACIMA DE TUDO, deve ser reconhecido e exaltado o trabalho do presidente Marcelo Paz, após o rebaixamento de 2006 do Fortaleza, que ficou treze anos fora da Série A. O clube sofreu oito anos na Série C, chegando ao auge da luta desesperada, entre 2010 e 2017, para evitar o fundo do poço, que seria a queda para a Série D. Os três títulos cearenses, em 2010, 2015-2016, trouxeram alívio, e o Fortaleza teve força para voltar ao caminho das grandes conquistas.

É IMPORTANTE RESSALTAR o trabalho do presidente na reestruturação do futebol do Fortaleza, iniciada com Rogerio Ceni, tricampeão cearense e campeão da Copa do Nordeste e sequenciado por Juan Pablo Vojvoda, que em 2021 foi 4º lugar do Campeonato Brasileiro, entrou nas oitavas da Libertadores, além de finalista, pela primeira vez, da Copa Sul-Americana. Méritos que só realçam campanhas de alto nível da história de um clube 46 vezes campeão cearense.

O FORTALEZA fez uma campanha pautada pela regularidade e equilíbrio, do início ao fim, como demonstrou ontem (28), em 120 minutos, com um adversário qualificado. A derrota, depois de 120 minutos de jogo igual, na decisão em pênaltis, foi mais uma das muitas contingências do futebol. O time e a comissão técnica do Fortaleza só merecem aplausos pelo que fizeram na Copa Sul-Americana de 2023.

OS VICE-CAMPEÕES: João Ricardo, Tinga (c), Britez, Titi e Bruno; Zé Welison (Pedro Augusto), Caio Alexandre (Lucas Sasha) e Pochettino (Tiago Galhardo); Marinho (Machuca), Lucero (Silvio Romero) e Guilherme (Pikachu). Técnico – Juan Pablo Vojvoda.

OS CAMPEÕES: Alexander Dominguez, Quintero, Ricardo Ade, Facundo e Quiñonez; Martinez, Piovi (c) e Gonzalez (Alvarado); Ibarra (Alzugaray), Paolo Guerrero e Julio. Técnico – Luis Zubeldia.

O GOL DO FORTALEZA foi do atacante argentino Juan Martin Lucero, aos 3 minutos do 2º tempo, e sete minutos depois, outro atacante argentino, Lisandro Alzugaray, fez o belo gol da LDU, de canhota, no ângulo. O empate permaneceu na prorrogação de 30 minutos.

NOS PÊNALTIS, converteram para a LDU, Alzugaray, Martinez, Julio e Piovi, e para o Fortaleza, Tiago Galhardo, Pikachu e Tinga. O goleiro João Ricardo defendeu as cobranças de Paolo Guererero e Alvarado, e o goleiro Alexander Dominguez defendeu as cobranças de Silvio Romero, Pedro Augusto e Britez.

Fotos: OHoje, No Ataque e Rede Jovem News