Entre dois gols anulados por impedimento, de Rony aos 9 e Braian Romero aos 49 do segundo tempo, o Athletico Paranaense venceu o CSA com o gol de Marcelo Cirino, aos 37 – só ele e a trave -, depois que o goleiro João Carlos saiu para tentar cortar o cruzamento do lateral-esquerdo Marcio Azevedo. Foi o gol 52 de Cirino em 222 jogos.

GARANTIDO – Mesmo com participação assegurada na Libertadores 2020, por ser campeão da Copa do Brasil – título inédito em sua história -, o Furacão quer terminar o Brasileirão 2019 entre os seis primeiros, o que já conseguiu, ao fechar a rodada em sexto, com 46 pontos, ultrapassando o Corinthians (45) e superando o Inter (46), no saldo de gols (13 a 6), que também tem 13 vitórias.

ATHLETICO – Santos, Madson, Tiago Heleno, Leo Pereira e Marcio Azevedo; Camacho, Bruno Guimarães e Thonny Anderson (Bruno Nazario, 16 do segundo tempo); Nikão (Marcelo Cirino, 30 do segundo tempo), Marco Ruben (Braian Romero, 43 do segundo tempo) e Rony. Técnico – Tiago Nunes. O próximo jogo é com o Cruzeiro, quarta (6), na Arena da Baixada.

CSA – João Carlos, Celsinho, Alan Costa, Luciano Castan e Euller; João Vitor, Dawhan (Jean Cleber, 16 do segundo tempo) e Jonatan Gomez (Alecsandro, 35 do segundo tempo); Warley, Ricardo Bueno e Apodi (Hector Bustamante, 25 do segundo tempo). Técnico – Argel Fucks. A décima quinta derrota manteve o CSA, com 29 pontos, em antepenúltimo. O próximo jogo é com o Grêmio, quinta (7), em Porto Alegre.

TRÊS CARTÕES – O árbitro Sávio Sampaio, da Federação de Brasília, advertiu com cartão amarelo o carioca Bruno Guimarães e o argentino Marco Ruben, e o meia sergipano Dawhan, do CSA. R$177.955,00. 12.933 pagantes na Arena da Baixada.

Foto: Paraná Portal – UOL