Vinte e sete rodadas após estrear goleando o Vasco, no domingo 28 de abril, o Atlético Paranaense repetiu os 4 x 1, exatos seis meses, neste último domingo (27) de outubro, com a virada sobre o Goiás, que saiu em vantagem no intervalo e sofreu dois gols em dois minutos, no início do segundo tempo.

EMOÇÃO FORTE – Quando já estava 3 x  1, o técnico Tiago Nunes promoveu a volta do apoiador Camacho, que havia feito o último jogo precisamente na estreia, em 28 de abril, quando se contundiu. Sob aplausos, Camacho entrou aos 20 do segundo tempo e sentiu muita emoção ao receber a braçadeira de capitão de Wellington, a quem substituiu.

OS QUATRO GOLS – Aproveitando o cruzamento de Michael, aos 46 minutos, Rafael Moura marcou de cabeça o gol do Goiás. Na volta do intervalo, o zagueiro Leo Pereira empatou aos 6 e Rony fez a virada aos 8. O lateral Adriano marcou o terceiro aos 17, e só nos acréscimos, aos 49, o argentino Marco Ruben fez o quarto gol do Furacão.

ATHLETICO – Santos, Khellven, Tiago Heleno, Leo Pereira e Adriano (Marcio Azevedo, 33 do segundo tempo); Wellington (Camacho, 20 do segundo tempo), Bruno Guimarães e Leo Cittadini; Nikão (Braian Romero, 29 do segundo tempo), Rony e Marco Ruben. Os torcedores pediram ao técnico Tiago Nunes para renovar o contrato que termina em dezembro.

GOIÁS – Tadeu, Yago Rocha, Fabio Sanches, Rafael Vaz e Jefferson; Breno (Marlone, 23 do segundo tempo), Yago Felipe e Leo Sena (Felipe Trindade, 22 do segundo tempo); Leandro Barcia, Rafael Moura (Vinícius, 35 do segundo tempo) e Michael. Com 38 pontos, o Goiás manteve o décimo lugar – 11 vitórias, 5 empates, 12 derrotas, 30 gols a favor e 43 contra -, mas manteve o décimo lugar, mesmo completando o terceiro jogo sem vitória. Quinta (31), o Goiás joga com o líder Flamengo no Serra Dourada.

REVANCHE – Com 42 pontos, o Furacão ultrapassou o Bahia (41) e terminou a rodada em oitavo – 12 vitórias, 6 empates, 10 derrotas, 42 gols a favor e 30 contra – e joga quinta (31), na Arena Beira Rio, com o Internacional. Uma revanche da final da Copa do Brasil, em que o Athetico venceu os dois jogos. O segundo, em Porto Alegre.

GAROTO DE PILÕES – O lateral-direito Khellven- primeiro profissional do futebol brasileiro a assinar contrato no século 21 –foi o único advertido com cartão amarelo, aos 16 do primeiro tempo, pela falta no atacante uruguaio Leandro Barcia. Norte-riograndense de Pilões, a 380 km da capital Natal, ele foi revelado no catarinnse Guarani, de Palhoça, município da região metropolitana de Florianópolis. Khellven fez 18 anos em fevereiro.

Flavio Rodrigues de Souza, da Federação Paulista, teve arbitragem tranquila. R$196.100,00. 11.819 pagantes na Arena da Baixada, em Curitiba.

Foto: Torcedores.com