Apesar do bombardeio intenso e de acertar duas vezes a trave, o Atlético Paranaense só conseguiu empatar (1 x 1) com a Chapecoense, lanterna do Brasileirão 2019, que saiu em vantagem para o intervalo, com o gol de Arthur Gomes, aos 31, com assistência de Bruno Pacheco, lateral-esquerdo que o técnico Marquinhos Santos improvisou no meio-campo.

REPETECO – O gol de empate do Furacão foi do atacante Nikão, em bela cobrança de falta, aos 12 do segundo tempo. Depois, o jovem e excelente goleiro Tiepo, catarinense de 21 anos, evitou a virada com defesas notáveis. Repetiu-se o placar (1 x 1) do jogo do turno, que Chapecoense e Atlético disputaram pela terceira rodada, dia 5 de maio, na Arena Condá, em Chapecó.

100 JOGOS – O meia carioca Bruno Guimarães, 21 anos, 1,82m, foi homenageado pelo centésimo jogo com a camisa do Atlético, que defende desde 2017. Ele foi um dos destaques da bela campanha em que o time, pela primeira vez, ganhou a Copa do Brasil, eliminando o Flamengo na semifinal, no Maracanã, e ganhando a decisão com duas vitórias (1 x 0, com o gol que marcou), em Curitiba, e 2 x 1 em Porto Alegre.

ATLÉTICO – Santos, Madson, Lucas Halter, Leo Pereira e Marcio Azevedo; Wellington (Marco Ruben, 24 do segundo tempo), Bruno Guimarães e Leo Cittadini (Everton Felipe, 33 do segundo tempo); Nikão, Rony (Pedrinho, 40 do segundo tempo) e Marcelo Cirino. Com 31 pontos, o Atlético é nono e faz o próximo jogo com o Bahia, sábado (5), em Salvador.

CHAPECOENSE -Tiepo, Eduardo, Douglas, Rafael Pereira e Roberto; Elicarlos, Marcio Araújo, Camilo (Augusto, 27 do segundo tempo) e Bruno Pacheco (Renato Kayzer, 35 do segundo tempo); Dalberto (Arthur Gomes, 11 do primeiro tempo) e Everaldo. Com o sexto empate e 15 pontos, a Chapecoense está em último. O time segue empenhado em evitar o rebaixamento, o que nunca aconteceu desde 2014, quando subiu à Série A. O próximo jogo é o atrasado da rodada 21, com o Corinthians, quarta (2), em Chapecó.

SÓ UM CARTÃO – O árbitro Tiago Peixoto, da Federação Paulista e do quadro nacional da CBF, teve boa atuação, facilitada pelo elevado nível disciplinar dos jogadores. O único cartão amarelo que aplicou foi no meio-campo Elicarlos, da Chapecoense, por falta normal. R$226.265,00. 13.669 pagantes, na bela Arena da Baixada, em Curitiba.

Foto: HEULER ANDREY/DIA ESPORTIVO