Com a decisão do governador e do prefeito de liberar o isolamento social, enquanto o recorde de mortes aumenta no estado e na capital, o Rio de Janeiro prepara a volta do futebol, com o precipitado reinício do campeonato carioca, pressionado pelo Flamengo e pelo Vasco, com o aval da Federação, que já hoje (6) voltou a promover reunião virtual. Ainda há tempo para a intervenção dos Ministérios Público e da Saúde, a fim de evitar o aumento dos casos de contaminação e óbito.

4.401 MORTES – O boletim da Secretaria estadual de Saúde da noite de hoje (6), informa que novos 1.467 casos de contaminação e 166 mortes foram registrados nas últimas 24 horas, aumentando os casos no estado para 64.533 e as mortes para 6.639. Na capital, com 16 milhões de habitantes, 4.401 mortes, enquanto na Índia, com 1.350 milhões de habitantes, o número de mortes é de 6.649; na China, com 1.400 milhões de habitantes, 4.638 mortes, e na Rússia, com 144 milhões de habitantes, 5.520 mortes.

EXIGÊNCIA – É imprescindível que o Ministério Público exija de Flamengo, Vasco e Federação, a assinatura de um termo de responsabilidade, que também deve ser solicitado dos governos estadual e municipal. Se isso não for feito, as autoridades, inclusive as sanitárias, estarão compactuando com uma decisão que afronta os preceitos éticos. É preciso que se mantenham atentas e vigilantes, sem dar trégua aos que usaram de todas as manobras para a volta imediata do futebol.

EXTORSÃO – É preciso também que as autoridades não compactuem com possíveis manobras de extorsão, com a redução da capacidade dos estádios. As aglomerações serão inevitáveis em torno dos estádios, causando também nova ameaça à reincidência da pandemia, que poderá agravar ainda mais o problema. Antecipam que em julho, o Maracanã pode reabrir com 22 mil lugares; o estádio Nilton Santos com 14 mil, e São Januário com 7 mil. Para contrabalançar, podem querer aumentar o preço do ingresso.

VERGONHA – Enquanto os números deixam o Brasil em terceiro no mundo com 35.930 mil mortes, atrás apenas do Reino Unido – 40.548 – e dos Estados Unidos – 109.791 -, o Governo Federal retarda a atualização do boletim para as 22 horas e diz que “os números são fantasiosos, criados pelos estados e municípios, que pretendem mais ajuda financeira”. Vergonha! Gostei de ter visto na CNN, na noite de hoje (6), o ex-ministro Mandetta resumir bem: “Não informar significa o Estado ser mais nocivo do que a própria doença“.

Foto: GMC Online