Em sua melhor apresentação e com o gol mais bonito da Eurocopa 2020, adiada para 2021 por causa da pandemia, a Croácia, vice-campeã do mundo em 2018, venceu a Escócia por 3 x 1, ontem (22), no Hampden Park, em Glasgow, e se classificou em segundo no Grupo D para o mata-mata das oitavas de final. Luka Modric foi o autor do gol,  de trivela, também tratado como gol de três dedos, da meia-lua, aos 17 do segundo tempo, quando estava 1 x 1.

COVID-19 – Dois dias antes do jogo, o meia Billy Gilmour, de 20 anos, revelação do londrino Chelsea, testou positivo para a Covid-19, depois de ter sido o melhor escocês no 0 x 0 com a Inglaterra. O gol de Calum McGregor, ponta de 28 anos do Celtic de Glasgow, foi o único da Escócia nos três jogos da fase de grupos, eliminada sem brilho como em 92 e 96, quando não conseguiu chegar às oitavas de final.

TABU DE 33 ANOS – Foi a única vitória da Croácia na fase de grupos, após 0-1 com Inglaterra e 1-1 com República Tcheca, suficiente para se classificar e quebrar um tabu de 33 anos. A última seleção vice-campeã do mundo, que entrou nas  oitavas da Eurocopa, havia sido a da Alemanha, que perdeu a decisão da Copa de 86 para a Argentina (3 x 2), no México. Os gols da Croácia foram de Vlasic, Luka Modric e Perisic, campeão italiano 2020-21 pela Inter de Milão.

RECORDISTA – Luka Modric foi o primeiro a ganhar todos os prêmios em um ano (2018): melhor da Copa do Mundo, eleito pela FIFA; melhor da Europa, eleito pela União Europeia de Futebol (Uefa); Bola de Ouro da FIFA de melhor jogador do mundo, e prêmio de melhor do mundo da revista France Football. Aos 35 anos (9/9/85), Luka Modric brilha no meio-campo do Real Madrid desde 2012, mas teve infância sofrida na Guerra da Independência da Croácia (91-95).

MORTE DO AVÔ – Criado em cenário de guerra, ao som de granadas e morteiros, Luka Modric viu o avô paterno ser assassinado em frente da casa, abandonada pela família porque o pai foi obrigado pelo governo a prestar o serviço militar no exército, e cresceu sem se alimentar bem. Foi dispensado aos 12 anos do Hadjuk Split, clube do coração, por ser franzino, e só quatro anos depois se abriram para Luka Modric as portas do Dínamo de Zagreb.

A VIRADA DA VIDA – Tricampeão da Croácia em 2005-06-07-08, Luka Modric foi vendido pelo Dinamo ao Tottenham, de Londres, sem que o valor tenha sido revelado, e assinou contrato por seis anos, mas foi renegociado antes. Agentes do Real Madrid o observaram, sem que soubesse, durante um mês, e em agosto de 2012, o clube espanhol apresentou a proposta, absolutamente irrecusável: 35 milhões de euros. Luka Modric disse que a virada da vida parecia um sonho.

QUINZE TÍTULOS – Luka Modric estreou campeão no Real Madrid, em 2012, ganhando a primeira das quatro Supercopas da Espanha; em 2013, a primeira das quatro Ligas dos Campeões e a Copa do Rei da Espanha; em 2014, o primeiro dos quatro Mundiais de clubes, e em 2016-17, o primeiro título de campeão espanhol. O contrato foi renovado antes do previsto, e depois ele assinou mais três: “Assegurei minha independência e de toda a minha família”.

EURO E COPA – Desde 2008, é a quarta Eurocopa de Luka Modric, que também espera completar, aos 37 anos, a quarta Copa do Mundo em 2022 no Catar. Vice-campeão em 2018 na Rússia, perdendo a final para a França (4 x 2), ele interrompeu o ciclo de Messi e Cristiano Ronaldo, que ganharam onze vezes o prêmio de melhor do mundo, interpondo-se na conquista da Bola de Ouro de 2018, mesmo sem que sua seleção tenha sido campeã. 

A MAIS JOVEM – No outro jogo de ontem (22), o técnico Gareth Southgate, de 50 anos, escalou a seleção mais jovem da Inglaterra na história da Eurocopa, com média de idade de 25 anos e 21 dias, e viu o rendimento melhorar pouco no 1 x 0 sobre a República Tcheca, no estádio de Wembley, nos arredores de Londres. O gol foi do ponta jamaicano Raheem Sterling, de 26 anos, aos 12 minutos, completando de cabeça o cruzamento do outro ponta, Jack Grealish, de 25 anos.

EM BRANCO – Tal qual a cor tradicional do uniforme branco da seleção, o atacante Harry Kane, do londrino Tottenham e artilheiro da Copa do Mundo de 2018, terminou a fase de grupos da Eurocopa sem sequer um gol. Mesmo sem brilho, os ingleses ficaram com o primeiro lugar do Grupo D. Justo destacar que os goleiros Jordan Pickford, de 27 anos, do Everton de Liverpool, e Thomas Vaclik, de 32 anos, ex-FC Basel, da Suíça, há meses sem clube, tiveram bom desempenho.

Fotos: Futebol Na Veia / AP News / New Straits Times / STUFORSTER