No jogo com mais gols do Campeonato Brasileiro de 2020, o Flamengo subiu quatro posições e terminou a sétima rodada em quinto lugar, ao vencer (5 x 3) o Bahia, na noite de ontem (2), no estádio de Pituaçu, bairro da Zona Leste de Salvador. A goleada provocou a demissão do técnico Roger Machado, gaúcho de 45 anos, bicampeão baiano em 2019-2020 e no clube há um ano e cinco meses. Ele saiu depois de 74 jogos, com aproveitamento de 50%: 30 vitórias, 22 derrotas e 22 empates.

OS TRÊS MAIS – Com a demissão de Roger Machado, dois técnicos passam a ser os segundos há mais tempo no cargo: Rogerio Ceni, do Fortaleza, e Fernando Diniz, do São Paulo, ambos desde setembro de 2019. O recordista de permanência é Renato Portaluppi, que assumiu o Grêmio em 18 de setembro de 2016. Bom dizer: nascido na Serra gaúcha, Renato é de Guaporé, capital brasileira da lingerie e da joia, município a 199 km de Porto Alegre. Renato vai completar 58 anos na próxima quarta (9).

CINCO GOLS – Não foi só o jogo com mais gols, mas o que teve também mais gols no primeiro tempo, com o Flamengo vencendo por 3 x 2. O time iniciou com muita pressão, marcando o Bahia no próprio campo, e fez 1 x 0 logo no primeiro minuto, com o gol de Pedro, de carrinho, interpondo-se entre o zagueiro Lucas Fonseca, que devolveu mal a bola, e o goleiro Anderson. Pedro fez seu segundo gol aos 27, com chute rasteiro, forte e colocado, e com a bola tocando nas traves antes de entrar.

REAÇÃO – Sem espaço, o Bahia ficou bom tempo acuado no próprio campo, mas conseguiu esboçar uma reação,  que não teve longa duração. Rodriguinho fez o primeiro gol do Bahia aos 32, após jogada bem trabalhada com Gilberto, mas em seis minutos o Flamengo chegou ao terceiro, com boa assistência de Pedro para a finalização de Arrascaeta. O goleiro Gabriel Batista, segundo reserva, falhou no cruzamento do lateral Nino e Elber marcou o segundo do Bahia aos 42.

MAIS TRÊS – Depois de cinco gols no primeiro tempo, o Flamengo voltou do intervalo pressionando mais forte e fez dois gols em três minutos. Everton Ribeiro, aos 2 minutos, encobriu o goleiro com um toque de alta categoria, e aos 5, após troca de passes com Pedro Rocha, Arrascaeta marcou seu segundo gol. Com 5 x 2, o Flamengo tinha o jogo sob controle, mas o Bahia não desanimou e ainda conseguiu o terceiro, aos 44, quando o meia Daniel acertou o ângulo, sem chance para o goleiro.

FLAMENGO – Gabriel Batista, Isla (Thuler), Rodrigo Caio, Leo Pereira e Renê; Arão, Tiago Maia (Diego), Everton Ribeiro e Arrascaeta (Vitinho); Pedro (Lincoln) e Pedro Rocha (Michael). Técnico – Domènec Torrent. O Flamengo é quinto com 11 pontos em 7 jogos – 3 vitórias, 2 derrotas, 2 empates, sem saldo de gol (9 a 9) – e fará os dois próximos jogos no Maracanã, sábado (5), com o Fortaleza, e quarta (9) com o Fluminense. 

BAHIA – Anderson, Nino, Lucas Fonseca, Juninho e Zeca (Juninho Capixaba); Elton (Edson), Daniel e Rodriguinho (Jadson); Elber, Gilberto (Saldanha) e Rossi (Marco Antonio). O Bahia informou após o jogo que o assistente Claudio Prates, gaúcho de 54 anos e seu ex-atacante, assume interinamente até o novo técnico ser contratado. Em nota, o clube agradeceu a Roger Machado pelo bicampeonato baiano e pela seriedade com que conduziu seu trabalho desde abril de 2019.

TRÊS CARTÕES – O árbitro Savio Sampaio, de 35 anos, da Federação de Brasília e do quadro nacional da CBF, teve atuação tranquila, facilitada pelo nível disciplinar elevado do jogo. O zagueiro Thuler e o meia Diego foram os advertidos do Flamengo com cartão amarelo, e o lateral-esquerdo Juninho Capixaba, o único do Bahia.

Foto: GaúchaZD