Foram desvastadoras as goleadas do primeiro fim de semana, no Brasil e na Alemanha. Logo depois dos 4 x 1 do Flamengo, o Corinthians anunciou a saída de Fabio Carille, que havia voltado ao clube em janeiro deste ano, após poucos meses na China.

O retorno foi excelente, com o tricampeonato paulista, mas o declínio do time, sem vitória nos últimos oito jogos do Brasileirão, teve o desfecho até então próprio e restrito à cultura do futebol brasileiro de demitir o treinador.

No entanto, a rotina dos resultados chegou à Alemanha. O Bayern de Munique, vencedor consecutivo dos últimos sete campeonatos, não poupou seu ex-meia e técnico campeão, após a goleada de 5 x 1 imposta sábado (2) pelo Eintracht Frankfurt.

Niko Kovac, de 48 anos, foi chamado pelo presidente Uli Hoeness, de 67 anos, atacante do time em nove temporadas e da seleção campeã do mundo de 74, para a demissão amigável. O ex-meia Rummenigge, de 64 anos, hoje diretor, participou da decisão.

CORINTHIANS – De acordo com as primeiras sondagens, o preferido do Corinthians é Tiago Nunes, de 39 anos, sem lastro algum como jogador, mas muito bem-sucedido como técnico no Athletico Paranaense. Em 2018, campeão paranaense e da Sul-Americana. Em 2019, campeão da Copa Conmebol e da Copa do Brasil, vaga certa na Libertadores 2020.

OUTRA OPÇÃO – O ex-lateral Roger, de 44 anos, dos melhores da história do Grêmio, é a outra opção do Corinthians, pelo trabalho que desenvolve no Bahia, campeão estadual de 2019, dois anos depois de comandar o Atlético no título mineiro de 2017. Andrés Sanchez, presidente do Corinthians, quer, pelo menos, a vaga na Libertadores 2020.

O ALÍVIO – O Corinthians fará os três próximos jogos em São Paulo, o primeiro com o Fortaleza, quarta (6), em que Dyego Coelho, do sub-20, comandará o time como interino. Voltar a vencer, depois de quatro empates e quatro derrotas, é um alívio para que no clássico do próximo domingo (10), com o vice-lider Palmeiras, a situação esteja mais calma.