Passível de suspensão de um jogo a seis jogos, o goleiro Gatito Fernandez, de 32 anos, será denunciado hoje (31) pelo Procurador-geral do Superior Tribunal de Justiça Desportiva, por ter destruído a cabine do VAR, após o jogo de sábado (28), no estádio Nilton Santos, em que o Botafogo perdeu a invencibilidade no Campeonato Brasileiro para o Internacional. O jogador postou mensagem de arrependimento, sem, no entanto, deixar de criticar “os profissionais despreparados da arbitragem brasileira”.

CHUTE FORTE – Mostrando-se revoltado com a derrota (2 x 0) e com a anulação dos gols do Botafogo, Gatito deu um chute forte na cabine do VAR ao sair de campo, destruindo o aparelho de propriedade da Confederação Brasileira de Futebol (CBF), que pedirá ressarcimento ao clube. Mesmo sem ter visto o momento em que o jogador atingiu o VAR, o árbitro Tiago Duarte Peixoto, da Federação Paulista de Futebol, viu depois uma gravação da cena e fez o registro na súmula, documento oficial do jogo.

OS DOIS GOLS – O placar do jogo estava definido desde o primeiro tempo, com os gols de Tiago Galhardo aos 5 e Boschilia aos 28 minutos, quando os dois gols do Botafogo foram anulados pelo VAR. O de Mateus Babi, por impedimento de Rhuan, no final do primeiro tempo, e o de Bruno Nazario, por falta de Mateus Babi em Patrick, no início do segundo tempo. A análise dos lances foi feita por José Claudio Rocha Filho, paulista de 41 anos, que atuou em 32 dos 38 jogos do campeonato de 2019.

PREPARADOS – O ex-árbitro gaúcho Leonardo Gaciba, de 49 anos, desde abril de 2019 presidente da Comissão de Arbitragem da CBF, é convicto ao afirmar que “todos os integrantes da equipe do VAR são muito bem preparados para o desempenho da função”, e ressalta que “atuar como árbitro de video é tão importante como se fosse o próprio árbitro de campo”. Gaciba diz ainda que Wilton Pereira Sampaio, do Santos 0 x 1 Flamengo de ontem (30), ganhou elogios da FIFA na Copa do Mundo de 2018 pelo trabalho como árbitro de video.

INACEITÁVEL – A atitude de Gatito, profissional experiente de 32 anos, com mais de uma centena de jogos no clube e currículo internacional de mais de sete anos com a seleção paraguaia, foi absolutamente inaceitável pelo que fez no início da noite do último sábado (28), no estádio Nilton Santos, ao final de Botafogo 0 x 2 Internacional. Gatito será indiciado no artigo 258 do Código Brasileiro de Justiça Desportiva, por assumir conduta contrária à disciplina e à ética esportiva.

SE NÃO FOR PUNIDO com o máximo de seis jogos, deve ficar fora de pelo menos três. O que pode ajudá-lo é o incrível efeito suspensivo, mal de que o futebol brasileiro não consegue se ver livre.

Foto: FogãoNet