O clássico de aberturta da sexta rodada que Fluminense e Vasco disputarão às sete da noite de hoje (29), no Maracanã, terá Nenê e Cano, entre outros seis artilheiros do Campeonato Brasileiro, empenhados em busca do gol, mas o Fluminense não contará com o goleiro Muriel, gaúcho de 33 anos, 1,90m, com fortes dores na perna esquerda, e o capixaba Marcos Felipe, de 24 anos, 1,89m, será o substituto, como aconteceu nos últimos seis jogos de  2019.

MARCOS FELIPE formou-se na base do Fluminense, pouco depois de chegar de Serra, município mais habitado do Espírito Santo, a 27 km da capital Vitória. Ele se confessa tricolor de coração e aderiu ao programa Sócio-Futebol do Fluminense, incluindo a esposa e as duas filhas. Na reta final de 2019, quando Muriel fraturou a mão, Marcos Felipe correspondeu nos seis jogos, com três vitórias e três empates, ganhando elogios de toda a comissão técnica.

DUAS MUDANÇAS – O meia Andrey é o primeiro do Vasco a cumprir suspensão no atual campeonato, advertido com três cartões amarelos em quatro jogos, entrando Carlinhos. A outra mudança é a entrada de Parede no ataque, de vez que Bruno Gomes e Vinícius testaram positivo. O time ganhou ainda mais motivação para o clássico, com a classificação para a quarta fase da Copa do Brasil, ao vencer duas vezes o Goiás, no tempo normal (2 x 1) e nos pênaltis (3 x 2).

FLUMINENSE – Marcos Felipe, Calegari, Nino, Lucas Claro e Egídio; Yuri, Dodi e Michel Araújo; Nenê, Evanilson e Marcos Paulo. Sétimo com 7 pontos – 2 vitórias, 1 empate, 2 derrotas -, o Fluminense marcou e sofreu 5 gols. Capitão e mais velho do time, Nenê está ainda mais motivado com os três gols do último jogo em que passou a ser o principal artilheiro do Brasil em 2020, com 15 gols em 23 jogos. 

VASCO – Fernando Miguel, Pikachu, Ricardo, Castan e Henrique; Carlinhos, Felipe Bastos e Benitez; Parede, Cano e Thalles. O time poderá aumentar ainda mais a motivação no clássico porque já entrará sabendo do resultado de Botafogo x Internacional, líder com 10 pontos, em que a vitória do Botafogo poderá ajudar o Vasco, com 10 pontos, a voltar à liderança. O Vasco marcou 7 gols em 4 jogos; só sofreu gol nos 2 x 1 no São Paulo e o único jogo em que não fez gol foi no 0 x 0, em casa, com o Grêmio.

JOGO 63 – Desde que o Campeonato Brasileiro foi unificado, será o sexagésimo terceiro jogo entre os times, com vantagem de seis vitórias do Vasco (22 a 16), e 24 empates. Braulio Machado, da Federação Catarinense e da FIFA, será o árbitro. No campeonato de 2019, o Vasco venceu no turno (2 x 0) e no returno foi 0 x 0. Na próxima rodada, o Fluminense voltará ao Maracanã para o jogo de quarta (2) com o Atlético Goianiense, e na mesma noite o Vasco jogará na Vila Belmiro com o Santos.

OUTRO DEMITIDO – Dorival Junior, paulista de 58 anos, foi o quarto técnico demitido em cinco rodadas do Campeonato Brasileiro de 2020, depois de quatro derrotas do Athletico, que dirigia desde janeiro, quando levou o time ao tricampeonato paranaense. Após duas vitórias, o Athletico perdeu os quatro jogos seguintes, mas Dorival Junior não dirigiu o time em três, internado depois de testar positivo. A equipe foi orientada por seu filho Lucas Silvestre, assistente permanente de sua comissão técnica.

RECORDISTA – Desde 2003, quando o campeonato passou a ser disputado por pontos corridos, o Athletico Paranaense é o clube que mais demitiu técnicos (68), sendo que nos últimos dezessete campeonatos foram 39 dispensados. Dorival Junior deixou a equipe em décimo lugar, com 6 pontos, após duas vitórias e quatro derrotas, saldo negativo de um gol (5 a 6). Junto com o líder Internacional, o lanterna Coritiba e o Atlético Mineiro, o Athletico Paranaense é um dos quatro que ainda não empataram.

BOM LEMBRAR – Antes da demissão de ontem (28) de Dorival Junior, foram demitidos, pela ordem: Ney Franco, do Goiás; Eduardo Barroca, do Coritibae Daniel Paulista, do Sport, único que ainda não anunciou o novo treinador. Tiago Larghi, sem clube há dois anos, desde que saiu do Atlético Mineiro, foi contratado pelo Goiás, e Jorginho, ex-Vasco, voltou ao Coritiba. Bom dizer: quatro dias antes do início do campeonato, o Santos demitiu o português Jesualdo Ferreira, de 74 anos, e contratou Cuca.

Imagem: SuperVasco