O Athletico, tricampeão paranaense, assumiu a liderança do Grupo C da Libertadores ao vencer (2 x 0) o Colo Colo, maior campeão chileno com 32 títulos, na noite desta quarta (23), na Arena da Baixada, em Curitiba. Os dois gols contra foram marcados em sete minutos, pelo meia Gabriel Suazo, de 23 anos, aos 7, e pelo zagueiro Felipe Campos, de 26 anos, aos 14 minutos, ambos no primeiro tempo, em jogo em que o Athletico foi superior, sem ser ameaçado.

BOA VANTAGEM – O Athletico está com boa vantagem, após quatro rodadas, com 9 pontos – 3 vitórias, 1 derrota, saldo de 3 gols (6 a 3) -, sobre o vice-líder Colo Colo, com 6 pontos – 2 vitórias, 2 derrotas -, saldo negativo de 2 gols (3 a 5). Com 3 pontos, o terceiro Jorge Willstermann, da Bolívia, e o Peñarol, do Uruguai, enfrentam-se nesta quinta (24), no estádio Felix Capriles, em Cochabamba. O Athletico jogará dia 29 com o Jorge Wilstermann, em Curitiba, e dia 20 de outubro com o Peñarol, no Uruguai.

ATHLETICO – Santos, Jonathan (Jorginho), Pedro Henrique, Tiago Heleno e Marcio Azevedo (Abner); Wellington, Erick e Pedrinho (Geuvanio); Leo Cittadini (Lucho Gonzalez), Christian (Leo Gomes) e Fabinho. O time continua sob a orientação de Eduardo Barros, de 35 anos, paulista de Campinas, no Athletico desde 2013-14, quando assumiu o sub-13. Décimo quinto no Brasileiro, com 11 pontos em 10 jogos, o Furacão volta à Arena da Baixada para o jogo de sábado (26) com o Bahia.

BOM DIZER – O Colo Colo, além de ser o maior campeão chileno com 32 títulos, é o único clube do Chile que ganhou a Copa Libertadores, em 1991, vencendo (3 x 0) o Olímpia, do Paraguai, no Estádio Nacional de Santiago, diante de 67 mil torcedores, em jogo apitado pelo carioca José Roberto Wright. O ex-volante croata Mirko Jozic, hoje aos 80 anos, foi o primeiro técnico europeu a ganhar a Libertadores, dirigindo o Colo Colo, que também comandou na conquista de três títulos chilenos.

TRÊS CARTÕES – Athletico 2 x 0 Colo Colo teve boa arbitragem de Fernando Rapallíni, de 42 anos, da Associação de Futebol da Argentina, que advertiu com cartão amarelo Leo Cittadini, do Athletico, e o lateral Bryan Soto e o atacante Leo Valencia, ex-Botafogo. Foi observado um minuto de silêncio, pelas 4.283 mortes registradas até hoje (23) no estado do Paraná, entre as 138.977 vítimas da Covid-19 no Brasil.

Foto: UOL