Escolha uma Página

Divulgação Governo do Estado do Rio

A semana começa com a (excelente) retomada do Maracanã pelo governo do estado, anunciada nesta segunda (18), em entrevista coletiva, pelo governador Wilson Witzel, de 51 anos, que vai voltar a pôr ordem no estádio. Integrante da torcida  organizada das pessoas de bem, Witzel ficou com a imagem das cenas deploráveis no entorno do estádio, no dia da decisão da Taça Guanabara, em que os torcedores só puderam entrar depois de meia hora do início do jogo.

SETOR SUL – A discussão, sem solução, pelo direito de ocupar o setor sul, reivindicado por Fluminense e Vasco, foi o estopim da guerra em que torcedores se viram no meio do fogo cruzado, correndo dos policiais militares, que soltaram bombas de efeito moral e provocaram a correria de idosos e de uma jovem mãe com o filho no colo. O governador Wilson Witzel classificou as cenas como “absolutamente lamentáveis e garantiu que isso não será mais tolerado, muito menos repetido”.

O governador promoverá reunião dos clubescom o objetivo de tomar as providências e fazer os ajustes necessários para queo Maracanã volte a ser cenário de eventos bonitos e prestigiados por torcedores de todos os níveis, que só se interessam pelos bons espetáculos e não por cenas que envergonham uma das imagens-símbolo do Rio

PUNIÇÃO – O governador do estado destacou também que estão sendo aplicadas, à concessionária e às controladoras, as penalidades de declaração de idoneidade pelo prazo de dois anos, em virtude da dívida de 38 milhões de reais, acumulada desde maio de 2017. Destacou também que “a rescisão foi determinada porque a concessionária usa, sem pagar, um equipamento do estado”

PRESERVADOS – O governador Wilson Witzel fez questão de destacar também que o estádio de atletismo Celio de Barros, o Parque Aquático Júlio De Lamare, a escola Friedenreich e o Museu do Índio, que fazem parte do complexo Maracanã, serão preservados e continuarão a ter funcionamento normal.

INVESTIMENTO – Uma das boas revelações do governador é a de que representantes de fundos árabes de investimento estão muito interessados não só no estádio, mas também no sambódromo, avaliações que estão já sendo feitas. De acordo com Witzel, a conversa começou no Clube Monte Líbano, na Lagoa, onde recebeu homenagem extensiva da colônia sírio-libanesa.

REAÇÃO DOS CLUBES – O Flamengo sempre demonstrou interesse em ser um dos administradores do estádio e comentou como muito positiva a decisão do governo do estado. O Fluminense, que tinha contrato com o consórcio, que lhe garantia, inclusive, ocupar o setor sul, avaliou a decisão do governo de retomar o estádio como “altamente positiva”.

O Consórcio Maracanã, tão logo tomou conhecimento da decisão, manifestou-se surpreso, principalmente por não ter tido acesso a nenhum ato do governo: “Vamos nos manifestar oportunamente” – resumiu o porta-voz.

Bom dizer: Wilson Witzel, do PSC, saltou de insignificante 1% na primeira pesquisa para animadores 17% no primeiro turno, com apenas 27 segundos no horário de propaganda eleitoral na televisão. Venceu com 41,28% – 3.154.771 votos – e foi para o segundo turno com o ex-prefeito do Rio, Eduardo Paes, do DEM, com 19.56%, que obteve 1.494.831 votos.

No segundo turno, Wilson Witzel elegeu-se governador com 59,87% dos votos – 4.675.355 -, enquanto Paes teve 40,13%, com 3.134.400 votos. A vitória de Wizel foi recebida como demonstração muito clara do desejo do povo fluminense de mudança significativa na história do estado, depois que o Rio de Janeiro foi dominado por corruptos, incluídos dois ex-governadores, ambos presos.

QUALIFICADO – Paulista de Jundiaí, município de 363 anos, a 57 km da capital e com o lema “Etiam per me Brasilia magna”, que em latim quer dizer “Também graças a mim o Brasil tornou-se grande”, o governador Wilson José Witzel, de 51 anos, aquariano do último dia – 19 de fevereiro -, é advogado, ex-juiz federal, ex-fuzileiro naval e formado, há 20 anos, em Ciência Política pela Universidade Federal Fluminense. É também mestre em Processo Civil e professor de Direito Penal.