COM ATUAÇÃO EXCEPCIONAL DO GOLEIRO Vlachodimos, de 27 anos, 1,88m, comprado em maio de 2018 do Panatinaikos, maior campeão grego com 20 títulos, o Benfica se classificou nesta terça (24) para a fase de grupos da Liga dos Campeões da Europa, ao sustentar o 0 x 0 com o PSV, em Eindhoven, no Sul da Holanda, depois de vencer (2 x 1) o jogo de ida no estádio da Luz, em Lisboa. O Benfica se junta ao campeão Sporting e ao vice-campeão Porto.

BRASILEIRO EXPULSO – O Benfica jogou com 10 desde os 32 minutos do primeiro tempo, quando o zagueiro Lucas Veríssimo, de 26 anos, comprado do Santos em janeiro, foi expulso ao atingir com o braço o atacante Mario Gotze, ídolo na Alemanha desde 2014, ao marcar o gol do quarto título mundial, na final com a Argentina, no Maracanã. Lucas Veríssimo já havia sido advertido pelo árbitro esloveno Slavko Vincic, de 41 anos, com cartão amarelo, aos 7 minutos, por falta dura no atacante holandês Cody Gakpo.

BOMBARDEIO – O PSV, do técnico alemão Roger Schmidt, ex-meia de 54 anos, ficou a maior parte do jogo no campo do Benfica, com 21 finalizações e das 8 na direção do gol, Vlachodimos defendeu todas, merecendo o prêmio de melhor do jogo, com 15 mil torcedores no estádio Philips, e ainda viu a bola bater na trave, em chute do israelense Eran Zahavi, aos 16 do segundo tempo. “Vlachodimos segurou o muro mesmo com menos um” – destacou o jornal A Bola, de Lisboa.

VLACHODIMOS, Lucas Veríssimo, Otamendi e Morato; Gilberto (André Almeida), Julian Weigl e Alex Grimaldo; Rafa Silva (Everton Cebolinha), Yaremchuk (Gonçalo Ramos) e Taarabt (Vertonghen) – o Benfica do técnico Jorge Jesus, que escalou três dos cinco brasileiros, só deixando na reserva o goleiro Helton Leite, ex-Botafogo, e o atacante Rodrigo Pinho. Depois do goleiro Vlachodimos, o lateral Gilberto, ex-Fluminense, esteve entre os melhores da equipe.

FOGOS DE MADRUGADA – A delegação do Benfica teve noite maldormida porque torcedores do PSV espoucavam foguetes em volta do hotel às 4 da madrugada. Não houve um só dos 28 integrantes que tenha conseguido voltar a dormir. Preocupado com o rendimento da equipe, o técnico Jorge Jesus, muito mal-humorado, desceu para protestar na recepção do hotel, mas os funcionários não viram necessidade de acionar a polícia.

DUAS VEZES CAMPEÃO – Na história da Liga dos Campeões, o Benfica foi bicampeão em 60-61 e 61-62, no auge da geração Eusébio, único português artilheiro de uma Copa do Mundo, em 1966, quando a seleção, dirigida pelo carioca Oto Glória, ficou em terceiro lugar, sua melhor colocação. O Benfica interrompeu a sequência de cinco títulos consecutivos do Real Madrid, de 55-56 a 59-60, derrotando o Barcelona por 3 x 2, no estádio Wankdorf, em Berna, capital da Suíça. José Augusto foi o artilheiro com 11 gols.

BICAMPEÃO 61-62 – Outra vez dirigido pelo húngaro Bela Guttmann, técnico campeão paulista de 57 com o São Paulo, o Benfica foi bicampeão da Liga dos Campeões em 61-62, derrotando o Real Madrid, no estádio Olímpico de Amsterdam, capital da Holanda, por 5 x 3, gols Eusébio (2), Mario Coluna, José Águas e Cavém. Os três gols do Real Madrid foram do notável meia húngaro Ferenc Puskas. Então aos 58 anos, Bela Guttmann era só elogios ao meia Zizinho, figura central do São Paulo, aos 36 anos. 

DOIS TÍTULOS DO PORTO – Só 25 anos depois o futebol português voltou a ganhar a Liga dos Campeões, com uma grande virada  do Porto sobre o Bayern Munich por 2 x 1, na decisão de 1986-1987, no estádio Prater, em Viena, capital da Áustria. A virada no segundo tempo foi em dois minutos: aos 34, o argelino Madjer empatou de calcanhar, com passe de Juary, a quem retribuiu, aos 36 minutos, com o passe para o gol do título. Hoje, aos 62 anos, o carioca Juary saiu do Pavunense para o Santos em 79, sagrando-se campeão paulista. 

A SEGUNDA CONQUISTA – O sucesso da equipe de 86-87, dirigida por Artur Jorge, um dos grandes atacantes portugueses da história, só voltou a se repetir 17 anos depois, quando José Mourinho levou o Porto ao segundo título de campeão da Europa em 2003-2004. Com brasileiros em destaque, o volante Carlos Alberto, ex-Fluminense, e o meia Deco, autores do primeiro e segundo gols, a vitória por 3 x 0, no estádio alemão de Gelsenkirchen, sobre o Mônaco, treinado por Didier Deschamps, futuro terceiro campeão do mundo como jogador e técnico, depois de Zagallo e Beckenbauer.

DECISÃO EM MAIO NA RÚSSIA – Nesta quarta (25) serão conhecidos os três últimos classificados para a fase de grupos da Champions 2021-2022, com 36 equipes, em jogos de ida e volta, com início em 14 de setembro. A decisão será em 28 de maio, no estádio de São Petersburgo – 68 mil lugares -, construído para a Copa do Mundo de 2018, onde o Brasil estreou com 2 x 0 na Costa Rica. O sorteio será nesta quinta (26), em Istambul, na Turquia, com os cabeças-de-chave Chelsea, atual campeão, no pote 1, em que estará o campeão português Sporting; Real Madrid, maior vencedor (13 títulos), no pote 2, e Porto, no pote 3. O pote do Benfica só será anunciado após os jogos desta quarta (25).

Foto: Sapo | Site Oficial do Benfica.