O Grêmio voltou ao quarto lugar com 65 pontos e 19 vitórias, ao se despedir da torcida na noite de ontem (5), na Arena Grêmio, com 2 x 0 sobre o Cruzeiro, que sofreu a décima quinta derrota, e domingo (8) precisa vencer o Palmeiras, no Mineirão, e esperar que o Ceará perca para o Botafogo, no Rio, a fim de evitar seu primeiro rebaixamento.

SEM GARANTIA – O técnico Renato Portaluppi antecipou que na despedida do Brasileirão 2019, domingo (8), no Serra Dourada, o Grêmio terá um time com sete ou oito jogadores da base, e disse que sua permanência no campeão gaúcho em 2020 “não é 100% garantida”. Ele elogiou muito Pepê e Ferreira, que fizeram os gols da noite de ontem (5).

ANSIOSO, TENSO – Assim voltou a ser o Cruzeiro em Porto Alegre, após perder boas chances no primeiro tempo (0 x 0), a melhor de todas com Edilson, que Paulo Victor desviou a escanteio. O campeão mineiro entrou com seis pendurados e três foram punidos com cartão – Edilson, Egídio e Ariel Cabral – e não disputarão o último jogo.

PRIMEIRO GOL – Seis minutos após substituir Diego Tardelli, o sul-matogrossense Ferreira, 21 anos, que chegou sub-17 ao Grêmio em 2013, marcou o primeiro gol como profissional, aos 22 minutos, após cruzamento de Pepê e corta-luz de Everton. Ferreira foi artilheiro do time no Brasileiro de aspirantes e renovou até 2021, com multa rescisória de R$221 milhões.

MELHOR ANO – Embora titular desde 2016, o atacante Pepê, 22 anos, está terminando sua melhor temporada no Grêmio. Paranaense de Foz do Iguaçu, firmou-se no time e é grato a Renato, “um técnico bem objetivo ao orientar”. Pepê marcou o segundo dos 2 x 0 no Cruzeiro, convertendo aos 40 o pênalti que sofreu do zagueiro Cacá.

GRÊMIO – Paulo Victor, Rafael Galhardo (Patrick, 20 do segundo tempo), David Braz, Kannemann e Cortez; Michel, Mateus Henrique e Everton; Pepê, Diego Tardelli (Ferreira, 16 do segundo tempo) e Luciano (Isaque, 35 do segundo tempo). O Grêmio ganhou 12 dos 19 jogos em casa, com 38 gols, e 18 contra. Perdeu 4, empatou 3 e não sofreu gol em 8.

CRUZEIRO – Fábio, Edilson, Cacá, Leo e Egídio; Henrique, Ariel Cabral (Robinho, 42 do primeiro tempo), Orejuela (Ezequiel, 13 do segundo tempo) e Ederson; David e Fred (Pedro Rocha, 10 do segundo tempo). Técnico – Adilson Batista. O time perdeu 10 dos 19 jogos como visitante, sofrendo 29 gols e marcando 14, sem fazer gol em 8.

TRÊS SUSPENSOS – O árbitro André Luiz Castro, da Federação Goiana, teve boa atuação e só mostrou cartão para jogadores do Cruzeiro: Edilson, Egídio e Ariel Cabral, suspensos do último jogo, e Cacá, pelo pênalti. Egídio foi expulso aos 46 do segundo tempo, por dar um tapa nas costas de Luciano.  R$635.190,00. 18.306 pagantes.

Foto: Correio24horas