O Fluminense não foi exceção no domingo só de derrotas, e sem fazer gol, dos quatro times cariocas, na abertura do returno do Campeonato Brasileiro, e voltou a perder para o Grêmio, que repetiu na noite de ontem (8), no Maracanã, o 1 x 0 do turno, em Porto Alegre, gol de Diego Souza. A única diferença foi a do autor do gol, desta vez do meia Pepê, aos 28 minutos do primeiro tempo, com assistência do atacante argentino Diego Churin, em seu terceiro jogo, primeiro como titular.

CARRASCO – O meia paranaense Pepê, de 23 anos, fez gol em três dos quatro jogos com times cariocas: dois no Botafogo, um no Flamengo e um no Fluminense, que vinha de três empates e cinco vitórias, depois de sofrer a última derrota – 3 x 1 para o Atlético Goianiense -, que o eliminou da Copa do Brasil, na noite de 24 de setembro, no Estádio Olímpico de Goiânia. A ascensão do Grêmio nos últimos cinco jogos, com quatro vitórias e um empate, levou o tricampeão gaúcho ao oitavo lugar do Brasileiro.

CHANCES – O jogo de ontem (8) dos tricolores não teve tantos lances de emoção no Maracanã, destacando-se a cabeçada de Fred, que o goleiro Paulo Victor defendeu no canto, no final do primeiro tempo, e o chute de Diego Churin no travessão, fora do alcance do goleiro Muriel, aos 10 do segundo tempo. Depois de ser substituído, Fred sentou-se no banco de reservas, e abriu discussão e troca de ofensas com Renato Portaluppi, técnico do Grêmio, em ataque de estrelismo de ambos.

FLUMINENSE – Muriel, Igor Julião, Nino, Lucas Claro e Danilo Barcelos; Hudson (Lucca), Dodi e Michel Araújo (Ganso); Caio Paulista (Marcos Paulo), Fred (Felipe Cardoso) e Wellington Silva (Luis Henrique). Técnico – Odair Hellmann. Com a sexta derrota, o Fluminense é quinto com 32 pontos em 20 jogos – 9 vitórias, 5 empates, saldo de 7 gols (29 a 22) – e o próximo jogo é sábado (14), no Allianz Parque, com o Palmeiras, com quem empatou (1 x 1), no turno, no Maracanã.

GRÊMIO – Paulo Victor, Orejuela, David Braz, Rodrigues e Diogo Barbosa; Darlan (Paulo Miranda), Mateus Henrique e Jean Pyerre (Isaque); Luis Fernando (Thaciano), Diego Churin (Ferreira) e Pepê (Everton Cardoso). Técnico – Renato Portaluppi. Com a sétima vitória, o Grêmio subiu para o oitavo lugar, com 30 pontos em 19 jogos – 9 empates, 3 derrotas, saldo de 5 gols (22 a 17) – e o próximo jogo será sábado (14), na Arena Grêmio, com o Ceará, com quem empatou (1 x 1) no turno, em Fortaleza.

UM CARTÃO – Edina Alves Batista, de 40 anos, paranaense de Goioerê, árbitra da Federação Paulista e desde 2016 na FIFA, teve atuação correta, facilitada pelo elevado nível disciplinar do jogo. O único cartão amarelo que aplicou, foi nos acréscimos do segundo tempo, aos 50 minutos, quando o lateral Diogo Barbosa, do Grêmio, excedeu-se na demora para cobrar o lateral. Eis aí bom motivo para terminarmos esta matéria explicando como nasceu a expressão “fazer cera”, há tempos tão usada no futebol.

FAZER CERA significa demorar, de forma proposital, fazer algo mais rápido. No futebol, é retardar a reposição da bola, seja na cobrança do lateral ou do tiro de meta, e também simular contusão. No Rio de Janeiro, a primeira eleição de vereadores foi em 1567, dois anos depois da fundação da cidade (1 de março de 1565), e os vereadores eram remunerados com cera, de grande valor e muito utilizada no fabrico de velas. Como os vereadores viviam protelando decisões, o povo dizia que não trabalhavam, e só ficavam fazendo cera, a fim de que o tempo passasse e continuassem a não fazer nada.

Foto: Gremio Facebook