Depois do 1 x 1 no jogo de ida em Porto Alegre, houve quem duvidasse da classificação do Grêmio na noite de ontem (17), na Arena Fonte Nova, em Salvador, menos o técnico Renato Gaúcho, que resumiu em uma frase: “Meu time tem coragem,dentro e fora de casa”. E foi realmente o que se viu: o campeão gaúcho mostrou-se decidido e rendeu mais que o Bahia, merecendo a vitória com o belo gol do atacante Alisson, em chute rasteiro de canhota, após driblar dois, aos 19 do segundo tempo.

IGUALAR OS TÍTULOS – O objetivo do Grêmio, segundo maior campeão da Copa do Brasil, é igualar os seis títulos do Cruzeiro, de preferência fazendo a final dos campeões gaúcho e mineiro com o Cruzeiro, que disputará a outra semifinal com o arquirrival Internacional. Cinco vezes campeão e três vezes vice, o Grêmio vai disputar a semifinal pela sexta vez. Bom dizer: nas cinco vezes que ganhou a Copa do Brasil, o Grêmio foi campeão invicto na primeira, em 1989, e também em 1994 e 1997. 

OS SEMIFINALISTAS – Paulo Victor, Leonardo, Geromel, Kannemann e Cortez; Maicon (Rômulo), Mateus Henrique e Jean Pyerre (Luan); Alisson (Pepê), André e Everton – o time do Grêmio, cujo técnico foi advertido com cartão amarelo aos 29 do segundo tempo, na reta final de um jogo em que a tensão aumentava a cada lance, por ultrapassar algumas vezes o limite da área técnica. Renato Gaúcho poucas vezes se mostrou tão nervoso à margem do campo.

NOVE CARTÕES – Além da expulsão do lateral-esquerdo Moisés, por falta em Alisson, que o árbitro chegou a marcar pênalti contra o Bahia – e não confirmou após consultar o VAR -, Braulio Machado, da Federação Catarinense, advertiu quatro do Bahia: Elton, Gilberto, Fernandão e Gregore, e quatro do Grêmio: Kannemann, Maicon, Mateus Henrique e Everton, artilheiro da Copa América, que ainda não fez uma grande exibição na volta ao time campeão gaúcho.

NOVO RECORDE – Cinco anos depois da reforma porque passou para a Copa do Mundo de 2014, a Arena Fonte Nova registrou na noite de ontem (17) o recorde de público: 46.663 pagantes. R$1.349.590,00. Os torcedores do Bahia, apesar da eliminação, reconheceram o empenho e aplaudiram ao final os jogadores e o técnico Roger Machado, gaúcho formado na base do Grêmio. Atual bicampeão e recordista de títulos (48) estaduais, o Bahia ainda não conseguiu ganhar a Copa do Brasil, embora tenha sido duas vezes campeão brasileiro, em 1959 e 1988.

Foto: Yahoo Esportes