Maior campeão brasileiro da Libertadores com três títulos – 1983, 1995 e 2017 -, igual ao Santos e ao São Paulo, o Grêmio estreou com vitória (2 x 0) na noite de ontem (3), no estádio Pascual Guerrero, sobre o América de Cali, quatro vezes vice-campeão e de volta após onze anos, impondo seu estilo copeiro de jogo forte e decisivo. O lateral Victor Ferraz fez o primeiro gol aos 15, e o meia Mateus Henrique marcou logo aos 5 do segundo tempo.

PREOCUPAÇÃO – O Grêmio passou a ter uma preocupação para o primeiro Grenal da história da Libertadores, dia 12, na Arena Grêmio, com a contusão na virilha esquerda do zagueiro Pedro Geromel, que saiu de maca aos 35 do segundo tempo. Era apenas seu segundo jogo após a cirurgia no joelho direito e os médicos farão nova avaliação no retorno a Porto Alegre. Paulo Miranda o substituiu e manteve a defesa firme ao lado de David Braz.

ENSAIADA – O gol do lateral-direito Victor Ferraz, ex-Santos, aos 15 do primeiro tempo, foi em jogada treinada à exaustão pelo técnico Renato Portaluppi. Na falta, Diego Souza passou por cima da bola e Everton fez a cobrança, que sobrou para Victor Ferraz concluir. No segundo gol, aos 5 do segundo tempo, o goleiro colombiano Eder Chaux, de 28 anos, 1,89m, não teve como alcançar o chute forte e colocado do meia Mateus Henrique.

DESEMPATE – Cada time havia ganho dois jogos no confronto pela Libertadores e o desempate foi do Grêmio com os 2 x 0. No último jogo que disputaram, em 12 de junho de 1996, no mesmo estádio, o América venceu (3 x 1). De volta ao estádio Pascual Guerrero, após onze anos ausente da Libertadores, o América atraiu 38 mil torcedores, que aplaudiram o time ao final.

BOA HISTÓRIA – O técnico do América de Cali é alagoano da capital MaceióAlexandre Guimarães, de 60 anos, tem cidadania costa-riquenha e participou como meio-campo da primeira Copa do Mundo que a seleção da Costa Rica disputou em 1990,quando o conheci na Itália. Doze anos depois, ele classificou a seleção para a segunda Copa do Mundo, em 2002, a primeira na Ásia e em dois países, Japão e Coreia do Sul.

DOIS CARTÕES – O árbitro equatoriano Guillermo Guerrero teve boa atuação, ainda que sem contar com o VAR – não utilizado nesta fase da Libertadores -, porque acertou na confirmação do segundo gol, que os jogadores do América do Cali tentaram que invalidasse por impedimento. Os dois cartões amarelos que aplicou bem foram em jogadores do Grêmio, Lucas Silva e Caio Henrique.

Foto: Paraná Portal – UOL