Escolha uma Página

Quatro dias depois de o Grêmio ter batido os recordes de jogos (200) e de vitórias (105) de times brasileiros na Libertadores, Renato Portaluppi tornou-se o técnico com mais jogos (384) na história do clube, na vitória (2 x 1) da noite desta segunda (30) sobre o Goiás, na Arena Grêmio, em jogo adiado da sexta rodada, porque estava disputando as finais, em que foi tricampeão gaúcho. O recorde era Osvaldo Rolla (Foguinho), técnico do tetracampeonato gaúcho de 195-57-58-59, com 383 jogos.

ANTES DA VITÓRIA sobre o Goiás, Renato ganhou uma placa de prata e a camisa 384, entregues pelo presidente Romildo Bolzan Junior, que voltou a exaltar a qualidade do trabalho do técnico, único da história do clube campeão da Libertadores como jogador e técnico, daí a homenagem especial de sua estátua, em tamanho natural, na entrada principal da Arena Grêmio. Bom lembrar: Renato marcou os gols do Mundial de clubes do Grêmio, na final de 1983, no Japão (2 x 1 no Hamburgo).

SAUDADE DOS PAIS – Renato se emocionou e não pôde evitar as lágrimas, durante a entrevista coletiva, ao lembrar dos pais e dizer que se sente muita saudade: “Perdi meu pai no ano em que cheguei ao Grêmio e minha mãe logo no ano seguinte. Foi difícil suportar a dor. Quando saí de casa, fugi pela janela para realizar o sonho de ser jogador. Consegui tudo no Grêmio. Não são só 384 jogos, são mais de 200 vitórias e 20 títulos como jogador e técnico. E ainda queremos muito mais”.

OUTRO RECORDE nos planos de Renato é a conquista da sexta Copa do Brasil para igualar o número de títulos do Cruzeiro. O técnico ressaltou: “O Grêmio está em três excelentes frentes de batalha: Brasileiro (estamos chegando, disse sorrindo), Libertadores e a Copa do Brasil. Não sei se ganharemos os três títulos, mas estamos empenhados, de corpo e alma. Acredito muito nos jogadores e vamos unir as forças para alegrar ainda mais essa maravilhosa torcida do Grêmio”.

A CINCO DO LÍDER – Com 37 pontos em 22 jogos, após a nona vitória, o Grêmio está a cinco pontos do líder Atlético Mineiro (42), a quatro do vice-líder São Paulo (41) e a dois pontos do Flamengo, terceiro com 39. Em sétimo, o Grêmio está igual em pontos ao Internacional (quarto), Palmeiras (quinto) e Santos (sexto), só com menos uma vitória (9 a 10). Grêmio e Flamengo têm menos um jogo, que não disputaram domingo (29) porque o Flamengo tem jogo nesta terça (1) pela Libertadores.

14 SEM PERDER – Com os 2 x 1 sobre o Goiás, o Grêmio chegou aos 14 jogos sem perder (8 no Campeonato Brasileiro) e ao quarto jogo sem sofrer gol, ascensão que vem ao encontro do que disse Renato, quando o time estava muito desfalcado: “Podem me cobrar assim que os titulares voltarem”. O técnico só não está contando com o zagueiro argentino Kannemann, ainda se recuperando de dores musculares, que vai reaparecer aos poucos.

BEM SUPERIOR – O Grêmio já saiu para o intervalo com 1 x 0, gol do meia Jean Pyerre, aos 19, aproveitando a saída errada do goleiro Tadeu, que lhe deu a bola nos pés. No segundo tempo, o volante Maicon fez 2 x 0 aos 20, com assistência de Luis Fernando. O bandeirinha chegou a acenar impedimento, mas o VAR confirmou o gol. Pouco antes, o Goiás acertou o travessão em cabeçada de David Duarte aos 7, e Luis Fernando chutou na trave do Goiás.

OUTRO NO RADAR – O meia Claudinho, do Bragantino, é um dos que estão no radar do Grêmio para 2021, mas o atacante João Carlos, que fez o gol do Goiás, aos 26, cinco minutos após substituir Shaylon, também entrou. Natural de Araguaína, no estado do Tocantins, era do Vila Nova e foi para o Goiás em 2017, sobressaindo-se com dois gols nos 2 x 0 sobre o Flamengo, no Brasileiro da categoria. Foi o primeiro gol que marcou desde que se profissionalizou no Goiás.

GRÊMIO – Vanderlei, Victor Ferraz (Orejuela), Geromel, Rodrigues e Diogo Barbosa; Maicon (Lucas Silva), Mateus Henrique e Jean Pyerre; Luis Fernando (Everton), Diego Souza (Churin) e Ferreira (Pepê). Sétimo com 37 pontos em 22 jogos – 9 vitórias, 10 empates, 3 derrotas, saldo de 8 gols (28 a 20) -, o Grêmio jogará domingo (6) com o Vasco, na Arena Grêmio. Antes, o jogo de volta das oitavas da Libertadores com o Guarani, quinta (3), podendo perder por 1 x 0 após vencer (2 x 0) o primeiro jogo no Paraguai.

GOIÁS – Tadeu, Taylon (Heron), David Duarte, Fabio Sanches e Jefferson; Breno, Ariel Cabral, Miguel Figueira (Lordelo) e Shaylon (João Marcos); Keko (Rodrigues) e Fernandão (Rafael Moura. Técnico – Glauber Ramos. Último com 16 pontos em 22 jogos – 3 vitórias, 7 empates, 12 derrotas, saldo negativo de 13 gols (24 a 37) -, o Goiás fará na próxima rodada o clássico com o Atlético Goianiense, segunda (7), no Estádio Olímpico de Goiânia.

QUATRO CARTÕES – Grêmio 2 x 1 Goiás foi bem apitado por Savio Pereira Sampaio, de 35 anos, da Federação Brasiliense. Ele aplicou quatro cartões amarelos, em Rodrigues e Lucas Silva, do Grêmio, e David Duarte e Miguel Figueira. Acertou ao validar o gol de Maicon, do Grêmio, depois de consulta ao VAR, porque o assistente errou ao acenar impedimento.

Foto: Eduardo Moura/ge.globo