Os maiores rivais do futebol gaúcho decidirão pela primeira vez a Copa São Paulo, sábado (25), às 10 da manhã, no estádio municipal do Pacaembu, na região central da capital paulista. Será a segunda decisão do Grêmio, que perdeu (2 x 1) a final de 1991 com a Portuguesa, e a sexta final do Inter, tentando o quinto título depois de 22 anos. A final de 2020 faz parte das comemorações dos 464 anos de fundação de São Paulo (25/1/1554). Bom lembrar: São Paulo x Vasco, final de 2019, mesmo sob muita chuva, registrou 37.315 pagantes no Pacaembu.

TERCEIRA VEZ – Desde que a Copa São Paulo começou, em 1969, será apenas a terceira final de equipes não paulistas, em 31 edições do maior torneio da categoria sub-20 do futebol brasileiro, muito bem organizado pela Federação Paulistade Futebol. Na primeira, em 1971, o Fluminense venceu o Botafogo (4 x 3 nos pênaltis, após 4 x 4 no tempo normal), e em 1996, o América Mineiro ganhou (2 x 1) do Cruzeiro.

BOA SURPRESA – Mesmo eliminado na semifinal, que disputou pela primeira vez, o Oeste, de Itápolis, foi uma boa surpresa, eliminando o Cruzeiro e o São Paulo, campeão de 2019. Entre os bons valores, o goleiro Marcio, que ainda na derrota de ontem (22) fez defesas que impediram o Grêmio de ganhar por vantagem bem mais ampla. O time é dirigido pelo ex-atacante Edgar de Carvalho, de 40 anos, que jogou em Portugal no Penafiel.

GOL MAIS BONITO – Um dos trunfos do Grêmio na final é o atacante Elias, de 18 anos, que fez o gol do 1 x 0 de ontem (22) no Oeste, aos 35 do segundo tempo. Elias é paulista de Campinas, marcou seis gols e concorre ao prêmio Dener, de gol mais bonito da Copinha, com o belo voleio de fora da área, no ângulo, nos 4 x 0 sobre o União Mogi, na fase de grupos. Elias é muito fã de Mbappé, do PSG, o mais novo da seleção francesa campeã do mundo.

OS FINALISTAS – Adriel, Vanderson, Calegari, Heitor e Mateus; Fernando Henrique, Gazão (Luis) e Pedro Lucas; Rildo, Elias (Vítor) e Fabrício.Técnico – Guilherme Dalzotto Bossle. Oeste 0 x 1 Grêmio teve nove mil pagantes, em jogo sob chuva no primeiro tempo e com arbitragem de Pietro Stefanelli, administrador de empresa, de 28 anos, que tem atuado em várias categorias da Federação Paulista, sempre com bons desempenhos.