Quase nove meses depois de seu último jogo, quando marcou seu único gol em Copa do Mundo, nos 2 x 0 sobre a Austrália, na  despedida do Peru, em 26 de junho de 2018, no estádio Fisht, na cidade balneária russa de Sochi, o atacante Paolo Guerrero voltou a jogar neste sábado (6) e abriu o caminho para o Internacional ser finalista do Campeonato Gaúcho, com o gol que fez aos quatro minutos do segundo tempo, nos 2 x 0 sobre o Caxias. O jogo marcou as comemorações dos 50 anos do Beira Rio.

EMOÇÃO – Suspenso por um ano, por doping, em outubro de 2017, após o jogo das eliminatórias com a Argentina, Guerrero teve a pena reduzida para seis meses e conseguiu que só valesse após a Copa de 2018. Só que depois a punição foi ampliada para 14 meses e Guerrero continuou afastado dos campos. A lembrança da despedida com vitória na Rússia o deixou vários dias sob muita emoção, ainda mais que, antes de fazer o segundo gol, deu assistência para André Carrillo marcar o primeiro.

40 ANOS – Já eliminado, com as derrotas para França e Dinamarca, o Peru buscou a todo custo a vitória, que em Copa do Mundo só havia conseguido, pela última vez, ao derrotar (4 x 1) o Irã, em 11 de junho de 1978, no estádio Chateau Carreras, na cidade argentina de Córdoba. Paolo Guerrero não escondeu as lágrimas ao deixar o gramado de Sochi, com a assistência, o gol e a despedida com vitória, que tanto queria no maior torneio de seleções do mundo: “Mesmo eliminado, foi um dia especial e feliz” – resumiu.

BASE EUROPEIA – Nascido em Lima, no primeiro dia do ano de 1984, Guerrero se destacou no infanto-juvenil do Alianza e dos 15 aos 16 anos marcou mais de 200 gols. Saiu para a Alemanha, onde em dez anos, ficou entre o Bayern de Munique e o Hamburgo. Ao entrar no futebol brasileiro, a alegria de ter sido campeão mundial em 2012 e de ter feito o gol da vitória do Corinthians na decisão do título com o Chelsea de Londres. Ficou em São Paulo de 2012 a 2015, marcando 54 gols em 130 jogos.

RUBRO-NEGRO – Paolo Guerrero foi contratado pelo Flamengo por três anos em 29 de maio de 2015 e estreou no Brasileirão fazendo o primeiro gol e dando assistência para Everton marcar o segundo nos 2 x 1 sobre o Internacional. Seu primeiro jogo no Maracanã, como rubro-negro, foi fazendo o gol da vitória (1 x 0) no Grêmio. Em 2017, tornou-se o sexto maior artilheiro estrangeiro do Campeonato Carioca, com 10 gols, feito que outro jogador não conseguia há seis anos. E foi campeão.Com o fim da suspensão por doping, em 5 de maio de 2018, Guerrero voltou ao Flamengo na vitória (2 x 0) sobre o Internacional, time em que estreou neste primeiro sábado (6) de abril de 2019. Três meses depois o contrato acabou, em 10 de agosto de 2018, sem que o Flamengo tivesse mostrado interesse na renovação. Saiu com 43 gols em 115 jogos, e em 12 de agosto de 2018 assinou com o Internacional até agosto de 2021, prometendo muito gols, o que começou a cumprir hoje (6) em sua estreia.

TIME DA ESTREIA – Paolo Guerrero foi saudado com entusiasmo pelos mais de trinta mil colorados na Arena Beira Rio na tarde deste sábado (6). Marcelo Lomba, Zeca, Roberto, Emerson Santos e Undel; Rithely, Camilo, Nonato (Rodrigo Lindoso, 28 do segundo tempo) e Sarrafiore (Neilton, 34 do segundo tempo); Guilherme Parede e Paolo Guerrero (Jonathan Alvez, 16 do segundo tempo) – o time que se classificou finalista e deve decidir o título de 2019 com o arquirrival Grêmio. O jogo foi bem apitado por Jean Pierre Lima. R$1.103.490,00. 27.702 pagantes.

Foto: Yahoo Esportes