A República Tcheca eliminou a Holanda (2 x 0) e disputará as quartas de final da Eurocopa, pela quinta vez, com a Dinamarca, ambas tentando o segundo título. A expulsão do meia Frenkie de Jong, de 24 anos, do Barcelona, aos 10 do segundo tempo, facilitou ainda mais o domínio dos tchecos, que marcaram os gols em doze minutos. A Holanda era favorita, mas não correspondeu, com atuação decepcionante, e completa 32 anos sem título, desde o único em 1988.

SUFOCANTE – Com a Arena Puskas, em Budapeste, recebendo a capacidade máxima de 67 mil torcedores, em tarde de calor sufocante, a República Tcheca foi superior e eliminou a favorita Holanda, uma das três com 100% de aproveitamento na fase de grupos, junto com Bélgica e Itália. O primeiro gol, aos 23, foi de cabeça do zagueiro Holes, com assistência de cabeça do zagueiro Kalas. Tomás Holes, de 27 anos, joga no Slavia Praga, atual bicampeão tcheco.

PATRIK SCHIK, atacante canhoto de 25 anos, fez o segundo gol aos 35 minutos, após troca de passes com Soucek. Schik foi da Sampdoria, Roma e saiu do Leipzig para outro alemão, o Bayer Leverkusen. Titular da seleção desde 2016, após passar por cinco categorias de base, desde a sub-16. A República Tcheca acertou dois dos cinco jogos na direção do gol e Schik chegou aos quatro, a um gol de Cristiano Ronaldo, artilheiro da Eurocopa com cinco.

EXPULSÃO – Frenkie de Jong foi bem expulso pelo árbitro russo Sergei Karosev, de 42 anos, há 11 anos na FIFA, porque era o último jogador de defesa ao cortar um passe com a mão na entrada da área, aos 10 do segundo tempo, em decisão confirmada pelo VAR. Dos três amarelos, dois para os holandeses Dumpries e Frenkie de Jong, e o do tcheco Coufal. A Holanda cometeu seis das vinte faltas. Na Arena Puskas, o melhor da Holanda foi a torcida, animada o jogo inteiro.

TERCEIRA VEZ – Nas quartas de final, República Tcheca e Dinamarca farão o terceiro confronto na história da Eurocopa, com vitórias dos tchecos em 2000 e 2004.  100% na fase de grupos – 3 x 2 na Ucrânia, 2 x 0 na Áustria (eliminada pela Itália) e 3 x 0 na Macedônia do Norte -, a Holanda foi eliminada pela primeira vez nas oitavas de final em dez participações. Após perder as finais das Copas do Mundo de 74 e 78, a Holanda só ganhou a Eurocopa de 1998: 2 x 0 na então União Soviética, hoje Rússia, com os gols de Gulit e Van Basten.

VANTAGEM – A seleção da República Tcheca, treinada por Jaroslav Silhavy, de 61 anos, ex-atacante, recordista de jogos (465) no campeonato nacional, confirmou a vantagem nos confrontos com a Holanda, com a sexta vitória em doze jogos, em que sofreu três derrotas e empatou três. Os tchecos tiraram a invencibilidade de oito jogos dos holandeses, que não perdiam desde março, na derrota por 2 x 1 para a Turquia.

ÚNICO TÍTULO – Ainda como Tchecoslováquia, o único título da atual República Tcheca na Eurocopa foi em 1976 sobre a Alemanha – 5 x 3 nos pênaltis, após 2 x 2 nos 120 minutos -, em um dos últimos jogos do capitão Franz Beckenbauer, que dois anos antes havia erguido a taça de campeão do mundo com a virada (2 x 1) sobre a Holanda, na final em Munique.

Foto: Esporte R7