Escolha uma Página

A estreia do atacante japonês Keisuke Honda, de 33 anos, que fez de pênalti o gol do empate (1 x 1) do Botafogo com o Bangu, no estádio Nilton Santos, sem público, na tarde deste domingo (15), foi marcada pelo protesto dos jogadores. Eles usaram máscara antes de entrar em campo, taparam a boca no sorteio (cara ou coroa) e não comemoraram o gol. O Bangu foi criticado pelo presidente do Sindicato dos Jogadores por não ter aderido.

A ESTREIA – Um mês e meio após sua apresentação, Honda, ainda que com pouco entrosamento, saiu-se bem, mas foi substituído por Luis Fernando aos 18 do segundo tempo e não gostou, olhando de cara feia na direção do técnico Paulo Autuori. Seguro e frio, o atacante japonês bateu com tranquilidade o pênalti, que sofreu aos 29 do primeiro tempo, derrubado pelo goleiro Mateus, que na cobrança escolheu o lado errado para tentar a defesa.

TERCEIRA – Foi a terceira estreia de Honda depois de 28 gols em 127 jogos no CSKA Moscou; 17 gols em 95 jogos no Milan, e 13 gols em 36 jogos no Pachuca, do México, onde o presidente Jesus Martinez vibrou com a cobertura da mídia japonesa. Desde então, Honda apresentou certo declínio no Melbourne Victory, da Austrália, com 9 gols em 24 jogos, e não fez gol em quatro jogos no holandês Vitesse, antes de ser contratado pelo Botafogo.

TIME DE HONDA – Gatito, Fernando (Barrandeguy, 24 do segundo tempo), Marcelo (Ruan, 7 do primeiro tempo), Kanu e Guilherme; Caio Alexandre, Alex Santana, Bruno Nazario e Honda (Luis Fernando, 18 do segundo tempo); Luis Henrique e Navarro – o time da estreia de Honda no Botafogo, dirigido por Paulo Autuori, técnico carioca de 63 anos, em sua sexta passagem pelo clube.

BELO GOL – O Bangu chegou ao empate aos 14 do segundo tempo com o belo gol do meia Rhainer, encobrindo o goleiro Gatito aos 14, menos de dois minutos depois de entrar no lugar de Josiel. O Botafogo quase fez o segundo aos 46, quando Alex Santana acertou a trave. O Bangu é terceiro no Grupo A – Flamengo 9 pontos, Boavista 6 -, empatado em pontos (4) com o Botafogo, mas sem saldo de gols (3 x 3), e o Botafogo tem saldo negativo (3 x 5).

DOIS CARTÕES – Botafogo 1 x 1 Bangu teve atuação segura do árbitro Yuri Cruz, que só advertiu com cartão amarelo, no segundo tempo, o lateral Juliano, do Bangu, por falta dura em Guilherme Santos, aos 26, e o apoiador Caio Alexandre, do Botafogo, por “matar” o contra-ataque do meia Juan Felipe, aos 33. O jogo foi de bom nível disciplinar e de aceitável nível técnico, embora só melhorando quando os times voltaram do intervalo.

PRESSÃO FORTE – Depois que a CBF anunciou neste domingo (15) a paralisação de todas as suas competições – Copa do Brasil, Campeonato Brasileiro sub-17, Copa do Brasil sub-20 e Campeonato Brasileiro feminino -, o Sindicato dos Jogadores do Rio de Janeiro faz pressão forte, com o apoio de todos os jogadores, para que a Federação confirme na reunião desta segunda (16) a paralisação do Campeonato Carioca por tempo indeterminado.

Foto: Yahoo Esportes