O Internacional manteve o quarto lugar, com 36 pontos, ao vencer (1 x 0) a Chapecoense no primeiro jogo deste domingo (22) da rodada de abertura do returno do Brasileirão 2019. O vice-campeão gaúcho teve dois gols bem anulados, com o auxílio do VAR, antes que o volante Rodrigo Lindoso marcasse o gol que valeu, aos 40 do segundo tempo.

PROTESTO – O Inter foi alvo de protesto dos torcedores, ainda inconformados com a perda da Copa do Brasil, quatro dias antes, pela segunda derrota (1 x 0 e 2 x 1) para o Atlético Paranaense. Faixas foram estendidas na parte alta da Arena Beira Rio, algumas até chamando os jogadores de covardes. Guerrero foi um dos que reagiram, negando falta de raça dele e de todos do time, que deixou o campo sob vaias no intervalo (0 x 0).

SALVADOR – O gol da décima primeira vitória em vinte jogos foi de Rodrigo Lindoso, aos 40, após Moledo desviar o escanteio de Bruno. Lindoso, 30 anos, 1,82m, maranhense de São Luis, foi campeão da Taça Rio em 2015 no Madureira, e no Botafogo ganhou a Série B em 2015 e o Carioca em 2018. Marcou seu quinto gol em 31 jogos pelo Internacional.

ESTREANTE – A Chapecoense promoveu a estreia de Marcos Vinícius dos Santos, santista de  40 anos, técnico desde 2018, quando iniciou no Londrina, do norte do Paraná, e estava no gaúcho no Juventude, de Caxias do Sul, que deixou classificado para a Série B de 2020.
Marquinhos Santos foi meio-campo sem se destacar na base do Santos, onde nasceu, mas iniciou bem como técnico, ao ganhar o Sul-Americano sub-15 de 2011 com a seleção brasileira. A Chapecoense é o sexto time que dirige, depois de passagens pelo Bahia, Coritiba, Fortaleza, Figueirense e Juventude.

INTERNACIONAL – Marcelo Lomba, Bruno, Rodrigo Moledo, Victor Cuesta e Uendel (Neilton, 11 do segundo tempo); Lindoso, Edenilson e Patrick; Wellington Silva (Guilherme Parede, 21 do segundo tempo), Guerrero e Nico Lopez (Sarrafiore, 44 do segundo tempo). Técnico – Odair Hellmann.
Com 36 pontos – 11 vitórias, 3 empates, 6 derrotas, 26 gols marcados e 17 sofridos -, o Internacional inicia o returno mantendo o quarto lugar. O próximo jogo será com o líder Flamengo, quarta (25), às 21h30m, no Maracanã. No turno, Internacional 2 x 1.

CHAPECOENSE – Tiepo, Eduardo, Gum (Maurício Ramos, 31 do segundo tempo), Rafael Pereira (Douglas, 30 do segundo tempo) e Bruno Pacheco; Elicarlos, Marcio Araújo e Camilo; Renato (Henrique Almeida, 18 do segundo tempo), Everaldo e Arthur Gomes. Técnico – Marquinhos Santos. 
Com 14 pontos em 20 jogos – 3 vitórias, 5 empates, 12 derrotas, 17 gols marcados e 33 sofridos (a mais vazada) -, a Chapecoense pode terminar a rodada de abertura do returno em último lugar, se o Avaí, com 13 pontos, vencer o Atlético Mineiro, amanhã (23), em Florianópolis. O próximo jogo da Chapecoense com o Corinthians será dia 2 de outubro.

QUATRO CARTÕES – Só a Chapecoense teve jogador advertido com cartão amarelo: o meia Camilo, o zagueiro Gum, o artilheiro Everaldo e o goleiro Tiepo, outra vez por cera (termo antigo no futebol, usado quando um jogador fica retendo a bola para o tempo passar). O árbitro Diego Pombo Lopez, da Federação Baiana e do quadro nacional da CBF, teve atuação correta, inclusive ao anular, com o auxílio do VAR, os dois gols do Internacional. R$904.128,00. 20.104 pagantes.

FISIO E MODELO -Diego Pombo Lopez foi a novidade da escala de árbitros da rodada de abertura do returno do Brasileirão 2019. Soteropolitano de 33 anos, 1,91m, estreou na Série B em 2010 em Ponte Preta 5 x 0 Asa de Arapiraca (AL) e em 2011 foi o árbitro revelação do Campeonato Baiano. Modelo e ator de teatro, participou em 2012 do reality show A Fazenda, da Rede Record, e é formado em fisioterapia.

Foto: Ricardo Duarte / Inter, DVG