Escolha uma Página

Depois da terceira derrota, segunda consecutiva e todas como visitante, o Internacional denunciou a presença de torcedores do Fortaleza na noite de ontem (19), na Arena Castelão, onde perdeu (1 x 0) para o Fortaleza e saiu da liderança do Campeonato Brasileiro, agora com o Atlético Mineiro. O vice-presidente Alessandro Barcelos, do Internacional, disse após o jogo, que “mais de 80 torcedores estavam ilegalmente no estádio, contrariando normas da CBF e o protocolo sanitário do campeonato”.

PRESSÃO NO PÊNALTI – O vice-presidente do Internacional afirmou que, logo no início do jogo, quando o zagueiro Paulão, do Fortaleza, deu um carrinho no volante argentino Damian Musto, o árbitro Marielson Alves Silva, de 38 anos, da Federação Baiana, foi muito pressionado pelos mais de 80 torcedores, nos cálculos dele, ao se aproximar da cabine do VAR para revisar o lance. Alessandro Barcelos foi enfático: “Infelizmente, um jogo sem controle da CBF, que precisa aumentar a atenção”.

CRÍTICA DO TÉCNICO – A perda da liderança também provocou crítica do técnico argentino Eduardo Coudet, de 46 anos, que assumiu o time do Internacional em janeiro: “Tenho repetido com frequência que não podemos continuar com poucos jogadores, alguns ainda jovens, para disputar duas competições duras como o Brasileiro e a Libertadores. Sem aumentar o grupo, com jogadores experientes e de boa qualidade, o Internacional vai pagar caro e não tem o direito de culpar só a mim“.

OS EX-LÍDERES – Marcelo Lomba, Saravia, Moledo, Zé Gabriel e Moisés; Patrick (Nonato), Lindoso, Edenilson e Johnny (D’Alessandro); Leandro Fernandes (Boschilia) e Leo Ferreira (Abel Hernandez). O Internacional, vice-líder com 20 pontos  6 vitórias, 3 derrotas, 2 empates, saldo de oito gols (15 a 7) , jogará sábado (26), com o São Paulo, na Arena Beira Rio, onde antes terá o jogo com o Grêmio, pela fase de grupos da Libertadores, quarta (23).

VOLTA DA TORCIDA – O Internacional reagiu ao anúncio de que o Maracanã reabrirá para os torcedores dia 4 de outubro, com um terço da capacidade (20 mil), em Flamengo x Athletico Paranaense: “Somos contra e esperamos que a CBF não conceda privilégio” – resumiu o presidente Marcelo Medeiros. Dentro do critério de igualdade, já manifestado pelo Corinthians, a volta dos torcedores também é desaprovada por Palmeiras, Grêmio, Atlético Mineiro, Ceará, Bahia, Fluminense e Botafogo.

DA TERRA DO CHICO – Foi de fora da área, aos 21 do segundo tempo, que o meia Felipe, de 26 anos, marcou o primeiro gol pelo Fortaleza, em apenas nove jogos, desde janeiro de 2015. Ele é de Maranguape, terra do ídolo Chico Anysio, a 27 km da capital, e teve um problema em junho com o clube, que o multou por quebrar o isolamento social e participar da festa de aniversário de um amigo, no auge da pandemia no Ceará, então com 4 mil mortes e 60 mil infectados. Felipe, em verdade, chama-se Luis Antonio Ferreira Rodrigues.

DUAS POSIÇÕES – Depois de derrubar o então líder Internacional, o Fortaleza subiu duas posições com 15 pontos em 11 jogos – 4 vitórias, 4 derrotas, 3 empates, saldo de dois gols (11 a 9) -, e só termina a rodada fora do oitavo lugar, se o Fluminense, com 14 pontos e 4 vitórias, vencer hoje (19) o Sport. O time que ganhou do Internacional: Felipe Alves, Marlon, Quintero (Jackson), Paulão e Carlinhos; Juninho, Felipe e David (Fragapane); Romarinho (Tiago Orobó), Wellington Paulista (Ronald) e Osvaldo (Yuri Cesar).

 Foto: Thiago Gadelha / SVM