Em jogo marcado pelo equilíbrio, com boas atuações dos goleiros Marcelo Lomba e Sergio Rochet, o Internacional, todo de vermelho, ganhou (1 x 0) do Nacional, na noite desta quarta (24), no Parque Central, em Montevidéu. O gol foi do peruano Paolo Guerrero, aos 45 do segundo tempo, com chute rasteiro e cruzado no canto. No jogo de volta, na próxima quarta (31), na Arena Beira Rio, em Porto Alegre, o Inter só precisa empatar para se classificar às quartas de final da Copa Libertadores. O que se classificar jogará com o vencedor de Flamengo x Emelec. A vaga na próxima quarta (31), no Maracanã.

INTERNACIONAL – Marcelo Lomba, Bruno, Rodrigo Moledo, Victor Cuesta e Uendel; Lindoso (Nonato, 36 do segundo tempo), Edenilson, Patrick e D’Alessandro (Wellington Silva, 15 do segundo tempo); Nico Lopez (Rafael Sobis, 15 do segundo tempo) e Paolo Guerrero. Antes do jogo de volta, o Internacional jogará sábado (27) com o Ceará, na Arena Beira Rio, pela décima segunda rodada do Brasileirão, e embora ainda não tenha anunciado, o técnico Odair Hellmann deve poupar a maioria dos titulares.

NACIONAL – Sergio Rochet, Cotugno (Castro, 39 do segundo tempo), Corujo, Felipe Carvalho e Viña; Gabriel Neves, Lorenzetti (Barrientos, 27 do segundo tempo) e Zunino; Kevin Ramirez e Bergessio. O técnico Alvaro Gutierrez, ex-volante, completou 51 anos no último domingo (21). Nascido em Montevidéu, jogou cinco anos no Nacional e depois em quatro times da Espanha e no Liverpool, participando de uma temporada do Campeonato Inglês.

CINCO CARTÕES – O argentino Néstor Pitana, árbitro da final da Copa do Mundo 2018 – França 4 x 2 Croácia – teve mais uma boa atuação e advertiu cinco com cartões amarelos: no primeiro tempo, Edenilson, meia do Internacional, por falta dura em Zunino, aos 30, e Gabriel Neves, aos 38, por puxar Edenilson pela camisa. No segundo tempo, Lorenzetti também puxou Edenilson pela camisa aos 18; Uendel, por falta em Zunino aos 23, e Cotugno, aos 28, por uma sola forte em Paolo Guerrero.

HISTÓRICO – A vitória do Internacional foi no histórico Parque Central de Montevidéu, primeiro grande estádio do Uruguai, inaugurado em 25 de maio de 1900. Foi onde o Brasil estreou na primeira Copa do Mundo, perdendo (2 x 1) para a Iugoslávia, em 14/7/1930. Os outros cinco jogos da Copa de 1930 no Parque Central foram Argentina 1 x 0 França, Chile 3 x 0 México, Iugoslávia 4 x 0 Bolívia e as duas vitórias dos Estados Unidos, ambas por 3 x 0, sobre a Bélgica e o Paraguai.

0 x 0 NA ARGENTINA – No outro jogo do início da noite desta quarta (24), San Lorenzo (Argentina) e Cerro Porteño (Paraguai) ficaram no 0 x 0, no estádio Nuevo Gasometro, em Buenos Aires. Além de ter feito boas defesas, o goleiro Sebastián Torrico,  de 38 anos, campeão da primeira Libertadores do San Lorenzo, em 2014, tornou-se um dos três com mais jogos (29) pelo clube na Copa Libertadores.

TORRICO igualou-se ao ex-meia Leandro Romagnoli, hoje aos 38 anos, que fez 183 jogos de 2009 a 2018, e ao ex-atacante Alberto Acosta, hoje aos 42 anos, uruguaio naturalizado brasileiro, que jogou no Santos, de Macapá, capital do estado do Amapá. O jogo de volta será na próxima quarta (31), no estádio Defensores del Chaco, em Assunção. Romagnoli e Acosta até então dividiam o maior número de jogos com a camisa do San Lorenzo, do bairro de Almagro, na Libertadores.

O VENCEDOR de San Lorenzo x Cerro Porteño será adversário de Cruzeiro ou River Plate nas quartas de final.

Foto: Notícias da TV – UOL