O Internacional só precisou do primeiro tempo para vencer o Vasco (2 x 0), na noite de ontem (18), na Arena Beira Rio, em Porto Alegre, e pernoitar na liderança, em que o Flamengo só ficou duas horas, após os 5 x 1 no Corinthians. Foi a quarta vitória consecutiva, melhor sequência do técnico argentino Eduardo Coudet, e a quarta derrota seguida do Vasco, que venceu pela última vez na décima rodada, 3 x 2 no Botafogo, no estádio Nilton Santos, no domingo, 13 de setembro.

EM 14 MINUTOS – Com amplo domínio do jogo, o Internacional decidiu em catorze minutos no primeiro tempo. O meia Edenilson fez 1 x 0, de fora da área, marcando seu segundo gol no campeonato, aos 25, com assistência de Tiago Galhardo, artilheiro do Brasileiro 2020, com 14 gols, que fez 2 x 0, aos 39, convertendo pênalti que sofreu do zagueiro Leandro Castan. O Vasco só teve uma chance clara de gol, não aproveitada pelo argentino Cano, que não marca há oito jogos, desde a última vitória.

NOVO TÉCNICO – Ricardo Sá Pinto, de 48 anos, novo técnico do Vasco, assistiu das cadeiras da Arena Beira Rio, ao lado de seu assistente Rui Mota e do vice-presidente José Luis Moreira. Nesta segunda (19) ele voltará a São Januário, onde já foi apresentado aos jogadores, para uma conversa e o primeiro treino, de vez que o próximo jogo será quarta (21) com o Corinthians. Sá Pinto deve fazer uma avaliação sobre o que observou na derrota em Porto Alegre.

INTERNACIONAL – Marcelo Lomba, Rodinei, Zé Gabriel, Victor Cuesta e Uendel; Lindoso (Praxedes), Edenilson, Marcos Guilherme (Rodrigo Moledo) e Patrick (Rodrigo Dourado); Tiago Galhardo (D’Alessandro) e Abel Hernandez (Yuri Alberto). Técnico – Eduardo Coudet. Com 34 pontos em 17 jogos – 10 vitórias, 4 empates, 3 derrotas, saldo de 15 gols (28 a 13) -, o Interncional só perderá a liderança se o Atlético Mineiro vencer o Bahia, nesta segunda (19), em Pituaçu, porque ficará com mais uma vitória.

SEIS DAS DEZ – A vitória do Internacional foi a sexta das dez que obteve como mandante na Arena Beira Rio. Antes, também venceu por 2 x 0 Santos e Ceará; ganhou do Atlético Goianiense (3 x 0), do Atlético Mineiro (1 x 0) e do Athletico Paranaense (2 x 1), e como visitante repetiu o placar de 5 x 3 do Flamengo sobre o Bahia, vencendo também o tricolor baiano em Pituaçu. Quinta (22), o Inter jogará em Santiago com a Universidad Católica, tentando a vaga para as oitavas de final da Libertadores.

VASCO – Fernando Miguel, Pikachu, Miranda, Leandro Castan e Henrique; Andrey (Felipe Bastos), Marcos Junior (Parede), Carlinhos e Benitez (Vinícius); Tales Magno e Cano. Técnico – Alexandre Grasseli. Com a sétima derrota em 15 jogos  5 vitórias, 3 empates, saldo negativo de quatro gols (18 a 22) -, o Vasco é décimo terceiro com 18 pontos, e jogará quarta (21), em São Januário, com o Corinthians, décimo quarto com com 18 pontos, 4 vitórias, 6 empates, 7 derrotas e saldo negativo de seis gols (19 a 25).

DOIS CARTÕES – Internacional 2 x 0 Vasco teve bom nível disciplinar. O árbitro Braulio Machado, da Federação Catarinense, só aplicou dois cartões amarelos, aos 24 do segundo tempo no zagueiro argentino Victor Cuesta, do Inter, por falta no meia argentino Martin Benitez, e aos 47 do segundo tempo no zagueiro paulista Leandro Castan, do Vasco, por reclamação.

Foto: Ricardo Duarte/Inter