Internacional e Atlético Paranaense farão decisão inédita da trigésima Copa do Brasil, nos próximos dias 11 e 18, ao vencerem o Cruzeiro (3 x 0) e o Grêmio (2 x 0 e 5 x 4 nos pênaltis), nas semifinais da noite de ontem (4), nas Arenas Beira Rio e da Baixada. O Inter, campeão pela única vez em 1992, volta à final depois de 10 anos, e o Atlético disputará a decisão, também pela segunda vez, seis anos depois de perder em 2013.

VALEU, GUERRERO! – Paolo Guerrero teve bom pressentimento, ao pedir dispensa dos amistosos da seleção peruana, para poder disputar o jogo da noite de ontem (4). Depois de cinco jogos sem marcar, ele fez os dois primeiros gols, levando o time a sair para o intervalo ainda mais seguro, com a cabeçada certeira, aos 40, após cruzamento de D’Alessandro.

GOL DA NOITE – Se estivesse transmitindo na Arena Beira Rio, Jorge Curi encheria os pulmões: Golaço, aço, aço!!! ao narrar o segundo gol de Guerrero, que matou no peito o cruzamento do uruguaio Nico Lopez, e mandou um chute preciso, cruzado, no ângulo. Foi aos 25 minutos e a torcida ainda vibraria com o terceiro gol, igualmente belíssimo, que o meia Edenilson marcou aos 45, encobrindo o goleiro, depois do belo lançamento do zagueiro Victor Cuesta. O Internacional mereceu muito e confirmou o 1 x 0 do jogo de ida no Mineirão.

OS FINALISTAS – Marcelo Lomba, Bruno, Rodrigo Moledo, Victor Cuesta e Uendel (Sarrafiore); Lindoso, Edenilson e Patrick; D’Alessandro (Rafael Sobis), Guerrero e Nico Lopez (Nonato). Técnico – Odair Hellmann, que tentará o primeiro título em nível nacional. A única Copa do Brasil que o Inter ganhou foi em 1992, vencendo (1 x 0, gol do zagueiro Celio Silva, de pênalti) o Fluminense, após 2 x 2 no primeiro jogo nas Laranjeiras. O Inter voltou a decidir em 2009 e perdeu para o Corinthians: 2 x 0 no Pacaembu, 2 x 2 no Beira Rio.

CRUZEIRO – Fabio, Jadson, Dedé (Ariel Cabral), Fabrício Bruno e Dodô; Henrique, Robinho (Ederson), Marquinhos Gabriel e Tiago Neves; Pedro Rocha (Fred) e David. Técnico – Rogerio Ceni. Após a eliminação da Libertadores, o maior campeão da Copa do Brasil, com seis títulos, após pode se concentrar só no Brasileirão e melhorar a campanha.

NENHUM CARTÃO – Algo muito raro no futebol brasileiro: Internacional 3 x 0 Cruzeiro foi um jogo limpo e em que o árbitro Flávio Rodrigues de Souza, da Federação Paulista e do quadro da CBF, não mostrou um cartão amarelo. Valia vaga na final da segunda competição mais importante do país e os times mantiveram a disciplina do início ao fim.

SEM NOVO RECORDE – Havia a expectativa de que fosse batido o recorde de 49.641 torcedores do jogo com o Flamengo, mas a marca ficou bem abaixo com os 41.768 da noite de ontem (4). Internacional 3 x 0 Cruzeiro rendeu R$2.369.469,00, apesar de muito frio e de temperatura que desceu aos 10 graus durante o jogo, em um dos invernos mais rigorosos de Porto Alegre.

Foto: UOL Esporte