O carioca Bruno Arleu Araújo vai apitar na noite de hoje (13), no estádio do Morumbi, um dos clássicos de rivalidade mais acentuada do futebol paulista, em que o Palmeiras, líder do Brasileirão 2019, com 8 vitórias, 1 empate, ataque mais positivo (17) e defesa menos vazada (2), está na condição de único invicto, ameaçado pelo São Paulo, nono com 14 pontos e só uma derrota sofrida, embora sem vitória nos últimos cinco jogos (quatro empates e uma derrota). O Palmeiras tem cinco pontos de vantagem sobre o vice-lider Santos, a quem goleou (4 x 0), e oito pontos à frente do Flamengo, com quem jogará na décima sétima rodada, domingo, 1 de setembro, no Maracanã.

NOVE TÍTULOS – A rivalidade entre Palmeiras e São Paulo tornou-se mais acentuada entre os anos de 1942 e 1950 quando disputaram nove títulos de campeão paulista. O São Paulo ganhou cinco – 43, 45, 46, 48 e 49 – e o Palmeiras, quatro – 42, 44, 47 e 50 -, impedindo por duas vezes que o São Paulo conquistasse o tão almejado tricampeonato. Essa sequência de nove anos de domínio deu ao clássico a denominação de Choque-Rei, criada pelo jornalista Tomaz Mazzoni, da Gazeta Esportiva.

EQUILÍBRIO – O jogo deste sábado (13) pode desempatar o equilíbrio. Será o de número 321, com 108 vitórias de cada time e 104 empates, 425 gols do Palmeiras e 423 gols do São Paulo. A disputa acirrada se estende aos títulos de campeão paulista: 22 do Palmeiras, 21 do São Paulo. Não houve vencedor no primeiro jogo (0 x 0), em 30 de março de 1930, no Estádio da Floresta, quando o Palmeiras ainda era Palestra Itália, e no mais recente, em 7 de abril de 2019 – 0 x 0 -, no Allianz Parque, o moderno estádio do Palmeiras, onde o São Paulo nunca venceu desde a inauguração em 2014.

SCOLARI E CUCA – Os técnicos não confirmaram as escalações para o jogo da noite deste sábado (14) no Morumbi.