Com três vitórias por 2 x 0, sobre a Bulgária, Irlanda do Norte e Lituânia, a Itália, quatro vezes campeã do mundo e primeira a ganhar duas Copas consecutivas, lidera com brilho e 100% de aproveitamento o Grupo C das eliminatórias para a Copa do Mundo de 2022. Além de não ter sofrido gol, o realce da campanha está em que duas das três vitórias foram como visitante, na Bulgária, e a de ontem (31), na Lituânia, onde superou o problema de ter jogado, pela primeira vez, em gramado artificial.

20 VITÓRIAS – Desde que Roberto Mancini, ex-meia de 56 anos, maior artilheiro da Sampdoria com 173 gols, assumiu a seleção, em maio de 2018, a Itália completou 25 jogos – 20 vitórias, 5 empates -, e a única vez que perdeu foi para Portugal (1 x 0, gol de André Silva), em jogo da Liga das Nações, na segunda-feira, 10 de setembro de 2018, no estádio da Luz, em Lisboa. Torcedores e analistas são unânimes em reconhecer que Mancini mudou muito para melhorar o estilo de jogo, mais agressivo, da seleção.

DECISIVAS – O primeiro tempo da Itália foi pouco inspirado, mas a seleção voltou do intervalo com duas mudanças decisivas, e logo aos dois minutos, Stefano Sensi, meia de 25 anos da Inter de Milão, fez um belo gol de canhota, da meia-lua, no canto direito. Sensi e Federico Chiesa, atacante de 23 anos do Genoa, deram à seleção a criatividade que faltou no primeiro tempo com Lorenzo Pellegrini,  meia de 24 anos, e Stephan El Shaarawi, atacante de 28 anos, ambos da Roma.

IMMOBILE – Chuteira de ouro da Europa 2019-2020, com 36 gols marcados pela romana Lazio, Ciro Immobile não esteve tão inspirado. Perdeu chances incríveis, pelo menos três bem claras, que poderiam ter levado a Itália à vitória mais ampla. Mas ganhou a força do técnico e dos companheiros para cobrar o pênalti, nos acréscimos, e marcar aos 47 minutos o segundo gol, que nem quis comemorar. Foi o décimo quarto gol que Ciro Immobile marcou em 40 jogos pela seleção. 

BRASILEIROS – O zagueiro Rafael Tolói, mato-grossense de 30 anos, 1,85m, estreou na seleção italiana, um mês após a FIFA ter aceitado sua naturalização. O São Paulo o emprestou à Roma em 2014 e o vendeu à Atalanta em 2015 por R$14 milhões. Tolói compôs o trio de zagueiros com Mancini e Bastoni. O lateral-esquerdo foi Emerson Palmieri, santista de 26 anos, que o Santos emprestou ao Palermo em 2014 e vendeu à Roma por R$7.500 mil em agosto de 2015. Hoje ele joga no londrino Chelsea.

DONNARUMA, Tolói, Mancini e Bastoni (Acerbi); Bernardeschi, Locatelli, Pessina (Barella), Pellegrini (Sensi) e Emerson (Spinazzola); El Shaarawi (Chiesa) e Ciro Immobile – a seleção líder do Grupo C, com 9 pontos, 6 gols marcados, nenhum gol sofrido. Itália e Suíça, que tem 6 pontos e menos um jogo, podem decidir a vaga no jogo que disputarão dia 4 de setembro. Antes, a Itália estará na Eurocopa, em junho, em grupo com Turquia, País de Gales e a própria Suíça. 

LITUÂNIA 0 x 2 ITÁLIA foi no estádio LFF, da cidade de Vilnius, capital da Lituânia, no Sul da Europa, primeiro país a se tornar independente da antiga União Soviética, hoje Rússia. Um terço da Lituânia é de florestas e parques naturais, e o basquetebol é o esporte preferido. Quando a seleção joga, a bandeira verde, vermelha e amarela é colocada à frente de todas as casas e edifícios. Os lituanos dizem que “o basquetebol é a nossa segunda religião”. 

MAIS TRÊS 100% – Além da Itália, que venceu todos os jogos, há mais três seleções com 100% de aproveitamento. A da  Dinamarca, que ontem (31) goleou a Áustria por 4 x 0, no estádio Ernst-Happel, em Viena, lidera o Grupo F com 9 pontos e tem o ataque mais positivo das eliminatórias com 14 gols. O ala Andreas Olsen, de 21 anos, do Bologna, décimo primeiro do Campeonato Italiano, abriu e fechou os 4 x 0. Antes, a Dinamarca havia vencido a Bulgária (2 x 0) e goleado a Moldávia (8 x 0).

A INGLATERRA também completou os 100%, ao vencer a Polônia, no estádio de Wembley, nos arredores de Londres, por 2 x 1, gols de Harry Kane, de pênalti, e Harry Maguire. O meia Jakub Moder, de 21 anos, chegou a empatar para a Polônia, sem tanta força ofensiva, devido à ausência de Robert Lewandowski, recuperando-se de entorse do joelho. Líderes do Grupo I com 9 pontos, os ingleses sofreram ontem (31) o primeiro gol, depois das vitórias sobre San Marino por 5 x 0 e Albânia por 2 x 0. 

GRANDE SURPRESA – Depois de Itália, Dinamarca e Inglaterra, o quarteto das seleções com 100% de aproveitamento é completado pela grande surpresa, a seleção da Armênia, líder do Grupo J, ao ganhar de virada (3 x 2), da Romênia, no estádio Hradzan, na capital Yerevan. Os armenos haviam vencido Liechtenstein por 1 x 0 e Islândia por 2 x 0. Com 9 pontos, estão à frente da Macedônia do Norte, que empata em pontos (6) com a Alemanha, mas tem vantagem no saldo de gols (5 a 3).

DERROTA AMARGA – Depois de fazer 3 x 0 na Islândia e 1 x 0 na Romênia, a Alemanha sofreu derrota amarga, ontem (31), na MSV Arena, na cidade portuária de Duisburg, para a Macedônia do Norte por 2 x 1. Em seu último jogo em eliminatórias, o técnico Joachim Low, que deixará a seleção em julho, após a Eurocopa, sofreu a primeira derrota, em casa, depois de 29 vitórias e 3 empates. Campeão do mundo em 2014 no Brasil, Low assumiu a seleção após a Copa de 2006 e a comandou em 191 jogos.

GORAN PANDEV, de 37 anos, canhoto, 1,84m, fez 1 x 0 aos 47 minutos do primeiro tempo. Campeão italiano, da Champions e do Mundial de clubes com a Inter de Milão, em 2009-2010, Goran Pandev joga desde 2015 no Genoa. Em março de 2009, o veterano atacante foi condecorado pelo presidente da República da Macedônia do Norte, Branko Crvenkovski, pelo desenvolvimento do futebol no país e por promover a imagem do país no exterior. 

AMPLO DOMÍNIO – Os alemães exerceram amplo domínio e logo aos dez minutos o volante Leon Goretzka acertou o travessão. Na volta do intervalo, em desvantagem, a equipe alemã aumentou a pressão e até conseguiu o empate, aos 18 minutos, com o gol de pênalti do meia Ilkay Gundogan. O gol da vitória dos macedônios foi do meia Eljif Elmas, de 21 anos, comprado por 17 milhões de euros do turco Fenerbahçe pelo Napoli, campeão da Copa Itália 2019-20. 

Foto: UOL