Escolha uma Página

Messi viveu momentos de muita apreensão nas últimas horas com o pouso de emergência do jato particular de doze milhões de libras – R$80 milhões -, no aeroporto Zaventem, de Bruxelas, capital da Bélgica, quando estava indo para Tenerife, a maior das Ilhas Canárias, na Espanha, perto da costa da África Ocidental. O jornal ingles The Sun (O Sol), que divulgou a informação na manhã deste sábado (4), não acrescentou se havia outros passageiros.

ESCALA NO RECIFE – Gulfstream V é uma aeronave executiva bimotor de alta perfomance, com alcance intercontinental. Fabricado nos Estados Unidos desde 1995, o avião transporta de 15 a 18 passageiros, e faz 904 km/hora. O avião decolou ontem (3) de San Carlos de Bariloche, 1.599 km ao Sul de Buenos Aires, e fez escala no aeroporto de Guararapes, no Recife, às 5h10m da manhã de hoje (4), após 5h15m de voo muito tranquilo.

QUASE 10 HORAS – Depois de reabastecido na capital pernambucana, o avião decolou com destino à penúltima parada, no aeroporto Zaventem, em Bruxelas, considerado pelo Conselho Internacional de Aeroportos como o melhor da Europa. O voo do Recife a Bruxelas – 7.564 km – teve duração de 9 horas e 6 minutos, sendo bem tranquilo. De acordo com a equipe de bordo da aeronave Gulfstream V, Messi viajou ao lado de uma janela.

TREM DE POUSO – Após outra vez reabastecido no aeroporto da capital belga, o avião decolou para o pouso final em Tenerife, nas Ilhas Canárias, mas em menos de uma hora fez contato com a torre pedindo espaço para um pouso de emergência, em virtude de problema em um dos trens de pouso. A distância de Bruxelas a Tenerife é de 3.045 km e o tempo de voo de 4h40m. Messi comprou o avião há dois anos por 12 milhões de libras, hoje R$80 milhões. Neste sábado (4), o craque espera concluir a viagem, cujo objetivo não foi revelado.

Foto: Reprodução Instagram / Metropoles