O Flamengo está com dois representantes na Itália e a tendência é que nas próximas horas a compra de Gabigol seja definida, com o pagamento de 18 milhões de euros, o equivalente a 83 milhões de reais, mais 20 por cento sobre futura venda. A Inter pagou 28 milhões de euros ao Santos, em 30 de agosto de 2016, e está perdendo 10 milhões de euros, depois de emprestar o jogador, de graça, ao Benfica, ao Santos e ao Flamengo.

MUITO CARO – Ao pagar 28 milhões de euros ao Santos, a Inter não precisou de tanto tempo para fazer as contas e concluir que Gabigol era um jogador muito caro. Afinal, quem investe espera retorno, e Gabigol não deu retorno algum à Inter. Em seis meses em Milão, o único gol que marcou, em jogos oficiais, foi o do 1 x 0 sobre o Bologna, no dia 19 de fevereiro de 2017, seis meses depois de tê-lo comprado do Santos.  10 jogos, 1 gol. É pouco.

NOVAMENTE – Seis meses depois, Gabigol foi emprestado ao Benfica, e outra vez ficou em um escasso gol em dez jogos. O único que marcou, em jogos oficiais, foi o do 1 x 0 no bem modesto Olhanense, da terceira divisão, em 14 de outubro de 2017, pela Taça de Portugal. A Inter de Milão não precisou se alongar na análise do desempenho do jogador. O que ele não havia apresentado era suficiente para concluir que seu ciclo na Europa estava encerrado.

RETORNO – Gabigol retornou ao Santos em 25 de janeiro de 2018, após duas tentativas, sem êxito, de se firmar na Europa. Voltou sem custo para o time de origem, que contou com 27 gols por ele marcados em 53 jogos na temporada, em que terminou como artilheiro das duas competições mais importantes do país, o Campeonato Brasileiro e a Copa do Brasil. Ainda assim, a Inter não se sensibilizou em reintegrá-lo ao elenco.

FLAMENGO – O ano de 2019 tornou Gabriel Barbosa, dito Gabigol, ainda mais bem-sucedido, depois que o Flamengo conseguiu, sem custo, o empréstimo da Inter, pagando só o salário. O retorno não poderia ter sido melhor: ele foi vice-artilheiro do Campeonato Carioca, com sete gols, só menos um gol que Bruno Henrique, artilheiro com oito. E fechou 2019 como artilheiro e campeão do Brasileirão e da Libertadores.

EXPECTATIVA – Era natural que Gabriel esperasse 2020 chovendo ainda mais forte em sua horta, mas janeiro está terminando, sem um só interesse que seja, de algum clube da Europa. Então não lhe resta outra alternativa, a não ser a de se acertar com o Flamengo, o que já deve ter acontecido, algo implícito com a ida dos dirigentes que estão em Milão tratando de sua compra. 

JORGE JESUS – Contratado em junho de 2019, o técnico teve 50 por cento de aproveitamento. Ganhou o Brasileirão e a Libertadores, mas não conseguiu a Copa do Brasil e o Mundial. Desde que conquistou o terceiro título português no Benfica, em 2014-15, nenhum outro clube da Europa se interessou em tê-lo. Jorge Jesus não figura entre os técnicos de ponta do futebol europeu, o que não o abate, mas o entristece e o deixa em desconforto.

JOSÉ MOURINHO, que ontem (26) completou 56 anos,é de todos os treinadores portugueses, o mais bem-sucedido, campeão em times da primeira linha, tipo Porto, Chelsea, Internazionale, Real Madrid, Manchester United e o seu atual Tottenham. E há mais dois em destaque na Inglaterra: Nuno Espírito Santo, no Wolverhampton, e Marco Silva, no Everton, além de Paulo Fonseca, na Roma, como um dos mais atualizados da evolução do futebol mundial.

O CONTRATO de Jesus termina em maio, mas não parece assim tão difícil antever que, a exemplo de Gabigol, o técnico também deverá prolongar a estada no Flamengo. Afinal, o dia a dia, cada vez mais difícil e complicado, com seus muitos problemas, ensina que é melhor ter pouco do que ambicionar muito e perder tudo. Ou, como resumem os bons caçadores: mais vale um pássaro na mão do que dois voando.

Foto: goal.com