Escolha uma Página

Dois dias depois de faixas de protesto, logo após seu retorno a Lisboa, Jorge Jesus segue vivendo o inferno astral no Benfica. Ao registrar ontem (23) sua candidatura à presidência, João Noronha Lopes, de 53 anos, advogado, sócio 5001, duras críticas ao técnico, que, segundo ele, é rejeitado por 90 por cento dos torcedores: “Quando Jesus saiu do Benfica, em 2015, teve atitudes que não gostei, e agora não consigo entender porque passou a ser o técnico do Vieira” (Luis Filipe Vieira, presidente).

DESLEALDADE – Quarto a registrar candidatura, João Noronha Lopes acrescentou: “Disse não entender porque Jesus é o técnico do Vieira porque o presidente o havia descartado, acusando-o de deslealdade, ao entrar com ação na justiça contra o Benfica, pedindo 14 milhões de euros, quando foi ele que abandonou o clube ao sair para o Sporting”. Lopes foi além na crítica: “O Vieira disse, para quem quisesse ouvir, que o Jesus nunca mais voltaria ao Benfica, e não se sabe por que mudou de ideia”.

POR ELEIÇÃO – João Noronha Lopes, que, com mais três candidatos, tentará impedir o sexto mandato do atual presidente, no cargo desde 2003, aumentou o tom das críticas a Vieira: “O futebol do Benfica é muito importante e respeitado para ser definido em decisões de um homem só ou em época de calendário eleitoral, como é o caso. O futebol do Benfica precisa de um plano bem elaborado e de longo prazo, igual ao que é feito em outros clubes do mesmo porte”.

GATO E SAPATO – Outro candidato à presidência do Benfica, Rui Gomes da Silva, de 61 anos, ex-deputado em cinco mandatos pelo PSD de Lisboa e atual comentarista do canal SIC Notícias, foi duro nas críticas à volta do técnico: “Jesus fez o que bem quis com o Vieira, fez dele gato e sapato, ao desprezar a renovação para voltar ao Sporting. No mínimo, o que se pode dizer é que Jesus cometeu deselegância e que lhe faltou gratidão ao Benfica, onde teve sempre o apoio de todos”.

Foto: Onefootball