Escolha uma Página

Embora o anúncio oficial só esteja programado para a próxima quarta (17), a tendência da União Europeia de Futebol é de manter todos os jogos finais da Champions League em Portugal. Faltaria apenas o Comitê Executivo decidir se todos os jogos serão em Lisboa, como única sede, e em dois estádios, o da Luz, do Benfica, e o José Alvalade, do Sporting, tendência que segundo fonte do jornal Bild (Imagem, em alemão)é a mais próxima da realidade.

REAÇÕES – Barcelona, depois de empatar (1 x 1) com o Napoli, no jogo de ida, com público, no Estádio São Paulo, no Sul da Itália, não gostaria de deixar de fazer o jogo de volta, mesmo sem público, em seu estádio Camp Nou. O Real Madrid, maior vencedor da Champions com 14 títulos, já vê a ideia com bons olhos, depois de perder (2 x 1) o jogo de ida para o Manchester City, em Madrid. A Juventus venceu (1 x 0) na ida o Lyon, em Turim, e considera bom jogar a volta fora da França. O Chelsea, que perdeu (3 x 0) no Stamford Bridge para o Bayern, entende que seria bem melhor do que jogar a volta em Munique.

QUATRO – É de expectativa a posição dos outros quatro classificados às quartas de final. O Atlético de Madrid eliminou o Liverpool, campeão europeu e mundial; o PSG tirou o Borussia Dortmund do caminho; o Atalanta, da cidade italiana de Bergamo, eliminou o Valencia, e o Leipzig despachou o londrino Tottenham, tido como favorito. A fase final da Champions, cuja decisão seria na Turquia, poderá aproximar mais os times, eliminando de certa forma o favoritismo de alguns.

NOVIDADE – O presidente da União Europeia de Futebol, Aleksander Ceferin, advogado esloveno de 53 anos, considera que a fase final da Champions é uma novidade capaz de criar ainda mais motivação, ainda que os jogos, em uma única sede que não tem equipe envolvida, não cheguem a representar tanta atração para os torcedores portugueses. Mas ele pondera que, com as fronteiras reabertas, os deslocamentos serão fáceis e os visitantes poderão desfrutar bem do verão de Portugal.