O toque de emoção do Boxing Day desta última quinta (26) de dezembro, em que os times fizeram uma rodada completa do Campeonato Inglês, foi o choro de José Mourinho, técnico do Tottenham, que se confessou “inconsolável e de coração partido”, pela perda de Leya, sua cadela da raça Yorkshire Terrier, que morreu na véspera de Natal.

NEM MESMO A VITÓRIA de virada (2 x 1) sobre o Brighton, no clima de alto astral do estádio do Tottenham, segundo maior de Londres, com os 63 mil lugares ocupados, evitou que o português José Mourinho deixasse clara a tristeza. Leya – cuja idade não revelou – morreu no colo de Matilde, esposa do técnico, pouco depois do almoço da véspera do Natal.

FOI ATÉ PRESO – Poucos se lembram, mas Mourinho chegou a ser preso e advertido, depois de discutir com policiais de Londres, em 2007, após ganhar a Copa da Liga Inglesa – seu primeiro título fora de Portugal – e o bicampeonato inglês pelo Chelsea, porque Leya, sua cadela, estava sem registro de vacinação. Em um mês o problema foi resolvido.

MUITO CARINHOSA – Matilde e Mourinho dizem que Leya, sua ex-cadela de pequeno porte, como são todas da raça Yorkshire Terrier, era inteligente, dócil, amável e muito carinhosa. Viveu desde  2004 conosco – recorda a mulher do técnico -, pouco depois de chegarem a Londres para o início do trabalho de Mourinho no Chelsea.

DIA ESPECIAL – Na Inglaterra, o dia seguinte ao Natal é feriado e faz parte da tradição do futebol a realização completa de uma rodada do campeonato. Mourinho é o único técnico estrangeiro que nunca perdeu jogo no Boxing Day. No Chelsea, 4 vitórias, 1 empate; no Manchester United, 1 vitória, 1 empate, e agora no Tottenham a vitória de virada (2 x 1).

O ARTILHEIRO – Brighton saiu para o intervalo com 1 x 0, gol do zagueiro inglês Adam Webster, mas o Tottenham empatou aos oito minutos com o gol do artilheiro Harry Kane, que também participou do lance do gol da virada, que Dele Alli marcou aos 32. O time de Mourinho terminou a rodada 19 em quinto lugar com 29 pontos, a 20 do líder Liverpool.