JUNIOR CONCEDEU MAIS DE DUAS DEZENAS de autógrafos no lançamento do livro Maestro, em que conta histórias de bastidores de seus últimos títulos no Flamengo, de campeão carioca em 1991 e brasileiro em 1992, ao receber os amigos na noite de ontem (26), na sede da Gávea. O recordista de 876 jogos e de 12 títulos com a camisa rubro-negra, sempre abre o coração, ao repetir a frase: “Não sei se trocaria o que ganhei no Flamengo por uma Copa do Mundo”.

JUNIOR FOI CAMPEÃO NAS LATERAIS E NO MEIO-CAMPO, o que resume a versatilidade do futebol primoroso que jogou, entre 6 de novembro de 1974 e 19 de agosto de 1993. Os dribles curtos e os passes longos, ele os criou no futebol de salão e nas areias de Copacabana, de onde saiu para o Flamengo, a convite do paraguaio Modesto Bria, centro-médio do histórico primeiro tricampeonato (42-43-44). Na sequência dos anos, Junior não parou de melhorar sua técnica refinada.

SEIS VEZES CAMPEÃO CARIOCA, quatro vezes campeão brasileiro, Junior é do time histórico de 1981, único campeão da Libertadores e do Mundial de clubes no mesmo ano. Na carreira de 1.035 jogos, com 96 gols, suas atuações nos italianos Torino e Pescara, entre 84 e 89, e a presença marcante entre os brilhantes da seleção da Copa de 82. As outras histórias, que realçam a volta de Junior ao Flamengo estão no livro, em que foi generoso ao me conceder autógrafo especial.

Foot: Iata Anderson