Escolha uma Página

POR 3 VOTOS A ZERO, do relator Gabriel Zefiro e dos desembargadores Mauro Martins e Mafalda Luchese, o Tribunal de Justiça do Estado do Rio de Janeiro destituiu na tarde de ontem, 5ª feira, 7 de dezembro de 2023, o presidente da Confederação Brasileira de Futebol (CBF). Ednaldo Rodrigues Gomes, de 69 anos, baiano de Vitória da Conquista, contador, político e ex-presidente da Federação Baiana de Futebol, havia sido eleito em março de 2022.

PRIMEIRO PRESIDENTE negro da CBF, Ednaldo Rodrigues Gomes foi eleito para um mandato de quatro anos, em março de 2022, por um Termo de Ajustamento de Conduta (TAC), entre o Ministério Público e a CBF, permitindo que a Assembleia Geral da CBF o elegesse. Na época, opositores tentaram impedir a eleição, alegando que o documento fora assinado por Ednaldo como presidente interino, após a destituição de Rogerio Caboclo, denunciado por assédio a uma funcionária.

NA VOTAÇÃO DE ONTEM (7), para a destituição, a 21ª Câmara de Direito Privado do Tribunal de Justiça do Estado do Rio de Janeiro considerou que o Ministério Público do Estado do Rio de Janeiro não tinha legitimidade para tratar de assuntos ligados à Confederação Brasileira de Futebol, por se tratar de uma entidade privada. José Perdiz de Jesus, advogado de 60 anos, presidente do Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD), desde 24 de maio de 2023, foi nomeado interventor da CBF, até a nova eleição, na primeira quinzena de janeiro de 2024.

Foto: Poder 360