Newsd

A Juventus abriu o fim de semana dos campeonatos europeus com a goleada (4 x 1) sobre a Udinese, na noite desta sexta (8), na Arena Juventus, em Turim, região do Piemonte, no norte da Itália, e abriu dezenove pontos de vantagem (75 a 56) sobre o vice-lider Napoli, que só joga domingo (10), fora de casa, com o Sassuolo, décimo primeiro com 31 pontos. A Juventus poupou a maioria dos titulares para terça (12), em que tentará reverter os 2 x 0 da derrota no jogo de ida em Madrid com o Atlético pelas oitavas de final da Liga dos Campeões.

CRISTIANO RONALDO, artilheiro do campeonato, foi um dos poupados. O meia argentino Paulo Dybala só entrou aos 26 do segundo tempo no lugar do francês Matuidi. O zagueiro Bonucci teve que entrar ainda no primeiro tempo porque Barzagli sentiu a coxa aos 25. O apoiador bósnio Pjanic e o lateral português João Cancelo cumpriram suspensão. O atacante brasileiro Douglas Costa, o meia alemão Khedira, o lateral De Sciglio e o colombiano Juan Cuadrado estão em recuperação.

DESTAQUE JOVEM – O destaque da goleada foi o jovem atacante Moise Kean, de 19 anos, 1,82m, filho de africanos da Costa do Marfim, nascido em Vercelli, considerada a cidade-arte italiana pela riqueza de seu patrimônio arquitetônico e artistico, na região do Piemonte. Kean fez os dois gols do primeiro tempo, aos 12, após cruzamento de Alex Sandro, que atuou como atacante, e aos 40, em jogada do apoiador uruguaio Betancur. Kean foi revelado na base da Juventus e jogou na seleção de sub-15 a sub-20.

Sports Illustrated

DOBROU O PLACAR – Na volta do intervalo, a Juventus fez mais dois gols: o terceiro foi do alemão Emre Can, aos 23, convertendo o pênalti do zagueiro Opuku, que atingiu Kean com um carrinho, e o francês Blaise Matuidi fechou a goleada, de cabeça, aos 27, após cruzamento de Betancur. Aos 41, o atacante Kevin Lasagna, de 26 anos, 1,86m, comprado em 2017 do Governolese, da região da Lombardia, fez o gol da Udinese, que sofreu a décima terceira derrota e tem saldo negativo de 14 gols (22 x 36). O árbitro Danielle Chiffi marcou 16 faltas (7 da Juventus) e mostrou amarelo para três jogadores da Udinese.

EM DISPARADA – Além de ficar 19 pontos à frente do vice-lider, a Juventus – único time invicto, 24 vitórias e 3 empates – também disparou como ataque mais positivo, com 59 gols, mais 20 que o do Milan (39), que joga amanhã (9), fora de casa, com o lanterna Chievo. A defesa da Juventus também é a menos vazada (17), enquanto a do Napoli sofreu 20 gols. Cristiano Ronaldo assistiu e atendeu a inúmeros torcedores, principalmente com selfies.

SETE ANOS DEPOIS – Maior campeã da Itália, desde o primeiro título em 1905, a Juventus está perto da quarta conquista invicta, repetindo 1957-58, 1981-82 e 2011-12, quando iniciou a arrancada para os sete títulos consecutivos. O feito inédito deve ser ampliado agora, na temporada 2018-19, com ooctacampeonato. Bom lembrar: na história de 121 anos da Juventus, fundada em 1/11/1897, o clube só teve um técnico brasileiro, em 1962-64, o carioca Paulo Lima Amaral – 1923-2008 -, preparador-fisico da seleção nas duas primeiras Copas do Mundo que o Brasil ganhou em 58-62.

A JUVENTUS precisa ganhar por três gols o jogo da próxima terça (12) com o Atlético de Madrid para se classificar às quartas de final da Liga dos Campeões. O time só ganhou duas vezes o título de campeão europeu, em 1984-85 e em 1995-96.