A cerimônia desta penúltima segunda-feira (23) de setembro de 2019 ficará marcada na história de 241 anos do Teatro Scala, de Milão, onde a brasileira Sílvia Grecco, que narra os jogos do Palmeiras, no estádio, para o filho Nickollas, deficiente visual de doze anos, recebeu o prêmio FIFA FAN AWARDS, entregue pelo ex-meia italiano Andrea Pirlo.

APLAUDIDA DE PÉ – Em elegante vestido vermelho, leve e solto, bem de acordo com a festa e o verão europeu, Silvia Grecco foi aplaudida de pé pela lotação máxima de dois mil espectadores no Teatro Scala – mais famosa casa de óperas do mundo -, ao agradecer à FIFA “por estar dizendo ao mundo que a pessoa com deficiência existe e precisa ser amada e incluída”.

PREMATURO – Nickollas, o filho de Sílvia, estava em elegante traje passeio completo azul marinho. Ele nasceu prematuro e aos cinco anos foi diagnosticado com autismo – transtorno neurológico variável, geralmente iniciado aos seis meses – e aos poucos foi perdendo a visão. A mãe, fanática pelo Palmeiras, passou a levá-lo ao estádio e a narrar os jogos que Nickollas não pode ver, mas comenta com ela com incrível vibração.

SÍLVIA GRECCO concorreu ao prêmio com a torcida da Holanda, que apesar de ter sido a mais festiva das eliminatórias, não conseguiu ajudar a seleção a se classificar para a Copa de 2018, e com o uruguaio Justo Sanchez, que torcia pelo Cerro e passou a ser torcedor do arquirrival Rampla Juniors, para homenagear a memória do filho, que morreu em desastre.

SONHO EM MIAMI – A premiada Sílvia Grecco realizou o sonho do filho Nickollas, ao levá-lo a Miami para entrar em campo com Neymar, seu ídolo, no amistoso com a Colômbia, o primeiro que o atacante disputou em 2019. Ela revelou depois que o filho não conseguiu dormir na noite anterior ao jogo, de tanta excitação por saber que estaria com Neymar.

SÍLVIA GRECO deu muita ênfase em sua fala emocionada à “honra de estar representando não só o Palmeiras, clube do coração, mas todos os clubes do Brasil, e todos os torcedores que apoiam as pessoas com deficiência, que acima de tudo precisam de muito carinho”.

PIRLO EMOCIONADO – Aos 40 anos, ex-meia Andrea Pirlo, com 119 jogos e 13 gols pela seleção italiana campeã do mundo em 2006, ficou emocionado ao entregar o prêmio à Silvia. No Milan, ele foi bicampeão da Champions e Mundial de clubes, e tetracampeão na Juventus. Dos 79 gols que marcou, 47 foram de falta, sua especialidade com precisão.

GOL DE BICICLETA – O prêmio Puskas, de gol mais bonito, foi ganho pelo jovem meia Daniel Zsori, 18 anos, nascido em Oradea, na Romênia, que marcou o gol de bicicleta da final da Copa da Hungria, em que o Debrecen ganhou (2 x 1) do Ferencvaros, em 23/9/2018, no estádio Nagyerdei. Depois do gol, Zsori se transferiu para o FC Fehérvár. 

A emoção de Daniel Zsori, aos 18 anos, tornou-se ainda maior porque seu gol de bicicleta concorria com um dos gols de Messi, que marcou 51 em 50 jogos como artilheiro da Europa na temporada. Pouco depois, na mesma solenidade, Zsori aplaudia Messi ao receber pela sexta vez o prêmio de melhor do mundo.

Foto: Site Tribuna do Norte