Depois de 12 anos ganhando títulos em três clubes da Europa, o lateral-esquerdo Adriano, de 34 anos, quatro vezes campeão espanhol e duas vezes campeão da Champions pelo Barcelona, sairá do Tribunal da Catalunha, nesta primeira quarta (5) de junho, para cumprir um ano e dois meses de prisão, por sonegação fiscal. O advogado dele conseguiu reduzir a multa de um milhão de euros para 650 mil euros, e a condenação de 3 anos para 14 meses.

ADRIANO CORREIA, nascido em 26 de outubro de 1984, em Curitiba, marcou dois gols em 81 jogos pelo Coritiba, de 2002 a 2004, e foi bicampeão paranaense em 2003 e 2004, quando acertou a transferência para a Espanha. Jogou no Sevilha de 2005 a 2010, marcou 19 gols em 217 jogos e ganhou duas vezes consecutivas a Liga Europa, em 2005-06 e 2006-07. Saiu para o Barcelona, que defendeu de 2010 a 2016, em 189 jogos e marcou 17 gols.

DOZE TÍTULOS – Bom marcador e desenvolto no apoio, o ambidestro Adriano firmou-se na lateral-esquerda do Barcelona e conseguiu 12 títulos. Quatro vezes campeão de La Liga, como é tratado o Campeonato Espanhol; três Copas do Rei; duas Champions e dois Mundiais de clubes, em que foi artilheiro, junto com Messi, no primeiro, ganho em 2011. Adriano encerrou a carreira em 2016-17 ganhando o título de campeão turco pelo Besiktas, da capital Istambul, com quatro gols em 94 jogos. 

MUNDIAL SUB-20 – Pelas atuações no Coritiba, Adriano foi convocado pelo técnico Marcos Paquetá para a seleção sub-20, que ganhou o Mundial nos Emirados Árabes em 2003, tendo também como destaques o goleiro Jefferson, os atacantes Kleber Gladiador e Nilmar, e o apoiador Dudu Cearense, um dos artilheiros. Adriano estreou na seleção principal em 10/10/2006, no amistoso que o Brasil ganhou (2 x 1) do Equador, na Suécia. Em 2004, no Peru, foi campeão da Copa América.