Se confirmarem o favoritismo na abertura do mata-mata das oitavas de final, eliminando o argentino Defensa y Justicia e o paraguaio Cerro Porteño, Flamengo e Fluminense poderão se enfrentar nas semifinais, em Fla-Flu inédito, na história de 61 anos que a Copa Libertadores completa em 2021. Antes disso, terão que ganhar também, nas quartas de final, do Internacional ou do Olímpia, e do Palmeiras ou da Universidad Católica do Chile. 

SUPERCLÁSSICO – A previsão de um Fla-Flu nas semifinais está dentro da lógica, não só pela força das equipes, mas pela vantagem do segundo jogo como mandante até a semifinal, pelo primeiro lugar na fase de grupos. É assim também que os jornais argentinos, que li nas edições digitais, logo após o sorteio, veem Boca x River, tratado por eles como superclássico, nas quartas de final, desde que o Boca elimine o Atlético Mineiro e o River vença o Argentinos Juniors.

FLAMENGO              x                    DEFENSA Y JUSTICIA

O FAVORITISMO DO FLAMENGO é acentuado. Primeiro do Grupo G, invicto, com 12 pontos – 3 vitórias, 3 empates, saldo de 5 gols (14 a 9) -, o Flamengo venceu duas fora por 3 x 2, na virada da estreia com o Velez, na Argentina, e na LDU, no Equador. O único empate como visitante (2 x 2) foi no Chile com o La Calera, goleado (4 x 1) no Maracanã, onde o Flamengo não conseguiu ganhar da LDU (2 x 2) e do Velez (0 x 0), quando a classificação estava definida.
DEFENSA Y JUSTICIA entra como franco atirador no mata-mata com o Flamengo. Segundo do Grupo A com 9 pontos – 2 vitórias, 3 empates, 1 derrota, saldo de 3 gols (11 a 8) -, só perdeu (2 x 1), na Argentina, para o Palmeiras, mas ganhou (4 x 3) em São Paulo, quando o Palmeiras escalou reservas. O Defensa y Justicia nunca foi campeão argentino. Seus títulos mais importantes são recentes: a Copa Sul-Americana, e a Recopa Sul-Americana, que ganhou do Palmeiras em Brasília.

FLUMINENSE               x                 CERRO PORTEÑO

O FLUMINENSE É FAVORITO, embora tenha sido um dos piores mandantes, junto com Cerro e Defensa. Primeiro do Grupo D, com 11 pontos – 3 vitórias, 2 empates, 1 derrota, saldo de 3 gols (10 a 7) -, o Fluminense, no Maracanã, venceu (2 x 1) o Santa Fé; perdeu (2 x 1) do Junior Barranquilla, e empatou (1 x 1) na estreia com o River. Fora de casa, o Fluminense empatou (1 x 1) com o Junior, e venceu o Santa Fé (2 x 1) e o River (3 x 1), em sua melhor exibição.

O CERRO PORTEÑO, segundo do Grupo H, com 10 pontos – 3 vitórias, 1 empate, 2 derrotas -, teve saldo negativo de 1 gol (4 a 5). Só fez 1 gol em casa, o da vitória sobre o América de Cali: perdeu 1 x 0 para o Atlético Mineiro e 0 x 0 com o La Guaira, e fez 3 gols como visitante: 1 x 0 no La Guaira e 2 x 0 no América de Cali. Foi goleado pelo Atlético no Mineirão (4 x 0). Sem título internacional, participou seis vezes das semifinais da Libertadores, a última em 2020.

ATLÉTICO MINEIRO      x          BOCA

TIME DE MELHOR CAMPANHA na fase de grupos, invicto, com 16 pontos – 5 vitórias, 1 empate -, o Atlético teve o segundo ataque mais positivo (15), uma das quatro defesas menos vazadas (3) e foi o único a vencer todos os jogos em casa e fora, sofrendo só um gol: 2 x 1 no América de Cali, 4 x 0 no Cerro Porteño e no La Guaira, e fora, 3 x 1 no América de Cali e 1 x 0 no Cerro. Único empate, 1 x 1 com o La Guaira. A missão do Atlético não será fácil nas oitavas de final.
COM SEIS TÍTULOS, O BOCA tenta se igualar ao Independiente, maior campeão da Libertadores. Segundo do Grupo C com 10 pontos – 3 vitórias, 1 empate, 2 derrotas, saldo de 4 gols (6 x 2) -, o Boca foi um dos quatro piores visitantes, com apenas 1 gol, na única vitória sobre The Strongest, após perder (1 x 0) para Santos e Barcelona. Em casa, 2 x 0 no Santos e 3 x 0 no The Strongest, e 0 x 0 com o Barcelona, primeiro colocado. A fase do Boca não é das melhores.

PALMEIRAS          x        UNIVERSIDAD CATÓLICA

COM O ATAQUE MAIS POSITIVO (20) e o melhor saldo de gols (13), o Palmeiras -, atual campeão, fez a segunda melhor campanha como primeiro do Grupo A com 15 pontos – 5 vitórias, 1 derrota, saldo de 13 gols (20 a 7) – e venceu todos os jogos fora: 3 x 2 no Universitário; 1 x 0 no Del Valle e 2 x 1 no Defensa y Justicia, único a vencê-lo (4 x 3) em São Paulo, onde escalou reservas. O Palmeiras goleou nos outros jogos como mandante: 5 x 0 no Del Valle e 6 x 0 no Universitário.
ADVERSÁRIO DO PALMEIRAS nas oitavas, o time da Universidad Católica do Chile foi segundo do Grupo F com 9 pontos – 3 vitórias, 3 derrotas, zerado no saldo de gols (6 a 6) -, tirando a invencibilidade do Argentinos Juniors na única vitória (1 x 0) como visitante, depois de perder, em casa, por 2 x 0 para a equipe argentina. Ganhou em casa do Nacional do Uruguai (3 x 1) e do Nacional da Colômbia (2 x 0), perdendo para os dois como visitante por 1 x 0 e 2 x 0. Time fraco.

SÃO PAULO          x         RACING

O SÃO PAULO FICOU EM SEGUNDO entre os melhores segundos colocados com 11 pontos – 3 vitórias, 2 empates, 1 derrota, saldo de 7 gols (9 a 2) – e terá que decidir com o Racing na Argentina, onde ficaram no 0 x 0 na fase de grupos. Ao conseguir a classificação com duas rodadas de antecedência, o São Paulo poupou titulares e perdeu a invencibilidade para o Racing (1 x 0) no Morumbi. Tendência de muito equilíbrio na decisão da vaga para as quartas de final.

O RACING, CAMPEÃO PELA ÚNICA VEZ em 1967, quando também ganhou o Mundial de clubes, terminou em primeiro do Grupo E com 14 pontos – 4 vitórias, 2 empates, saldo igual ao do São Paulo e com o mesmo número de gols marcados e sofridos (9 a 2) -, sendo um dos três invictos. Racing e São Paulo têm a defesa menos vazada (2), junto com o Boca. Em 2020, no Maracanã, o Racing eliminou o Flamengo nas oitavas de final, nos pênaltis, no Maracanã.

INTERNACIONAL    x     OLÍMPIA

PIOR PRIMEIRO COLOCADO, o Internacional ganhou o Grupo B como um dos piores visitantes, com 10 pontos – 3 vitórias, 1 empate, 2 derrotas, saldo de 7 gols (12 a 5) -, só ganhando um jogo fora de casa (1 x 0 no Olímpia), que derrotou por 6 x 1 em Porto Alegre, em uma das maiores goleadas da fase de grupos. Não conseguiu o fraquíssimo Always Ready (0 x 2 fora e 0 x 0 em casa), mas deve passar com alguma facilidade às oitavas de final.

SEGUNDO PIOR COLOCADO, o Olímpia do Paraguai somou 9 pontos – 3 vitórias, 3 derrotas, saldo negativo de 1 gol (13 a 14) – e só conseguiu a classificação com a goleada de 6 x 2 sobre o Tachira, na última rodada, em Assunção. Perdeu dois t jogos como visitante: 3 x 2 para o Tachira, 6 x 1 para o Internacional, e só empatou (1 x 1) com o Always, uma das equipes mais frágeis da fase de grupos da Libertadores 2021.

 VELEZ x BARCELONA – O Velez terá que fazer boa vantagem no primeiro jogo, na Argentina, depois de ficar em segundo no Grupo G com 10 pontos – 3 vitórias, 1 empate, 2 derrotas, saldo de 2 gols (10 a 8) -, em campanha discreta. O Barcelona do Equador, melhor mandante, primeiro do Grupo C com 13 pontos – 4 vitórias, 1 empate, 1 derrota, saldo de 7 gols (10 a 3), com a vantagem de decidir em casa, é favorito à classificação às quartas de final.

RIVER x ARGENTINOS JUNIORS – O River terá que render mais, depois de se classificar em segundo no Grupo D com 9 pontos – 2 vitórias, 3 empates, 1 derrota, zerado no saldo de gols (7 a 7) -, como o que mais sofreu com a pandemia. Pela primeira vez, usou um meia como goleiro (Enzo Perez) e não tinha sequer um jogador na reserva, ao vencer o Santa Fé. O Argentinos Juniors surpreendeu com o primeiro lugar no Grupo F com 12 pontos – 4 vitórias, 2 derrotas, saldo de 4 gols (7 a 3). 

BOM LEMBRAR – As oitavas de final serão em julho, com os jogos de ida em 13, 14 e 15, e os de volta em 20, 21 e 22; as quartas de final em agosto, com os jogos de ida em 10, 11, 12 e os de volta em 16, 17, 18. As semifinais em setembro, com os jogos de ida em 21. 22 e 23, e os de volta em 28, 29, 30. A final da Libertadores, pelo terceiro ano consecutivo em jogo único, sábado, 20 de novembro, no histórico Estádio Centenário de Montevidéu, onde o Uruguai venceu (4 x 2) a Argentina, na final da primeira Copa do Mundo em 1930.