A Juventus reassumiu a liderança do campeonato ao vencer a Inter de Milão, sem gol de Cristiano Ronaldo e sem público, neste domingo (8), na Arena Juventus, em Turim, para evitar a propagação da epidemia do coronavírus na Itália, primeiro país mais atingido da Europa. Nas últimas 24 horas o aumento subiu para 57%, com 366 mortos e 7.375 casos positivos. Pouco mais de 90 mil brasileiros estão vivendo em áreas isoladas.

DOIS PONTOS – A Juventus dominou a maior parte do jogo em que Cristiano Ronaldo fez de tudo para ser o recordista com 12 jogos consecutivos marcando gol, mas parou nos 11, igual ao argentino Gabriel Batistuta e ao italiano Fabio Quagliarella. Com muito empenho do início ao fim, o artilheiro só fez dois treinos antes do jogo, de vez que acompanhava em Portugal a recuperação da mãe, Dolores, de 65 anos, que sofreu um AVC.

OS GOLS – Os dois gols de Juventus 2 x 0 Inter, marcados no segundo tempo, foram muito bem trabalhados. O meia galês Aaron Ramsey fez o primeiro aos nove minutos, após cruzamento rasteiro sob medida do meia francês Blaise Matuidi. Depois, Ramsey realizou linda tabela com o canhoto argentino Paulo Dybala, que fechou o placar aos 23 minutos. Dybala só entrou aos 11 do segundo tempo, substituindo o gaúcho Douglas Costa. O outro brasileiro, Alex Sandro, saiu aos 32 para a entrada do lateral italiano De Sciglio.

EXPULSÃO – O goleiro Daniele Padelli, de 34 anos, que estava na reserva da Inter, levantou-se do banco e reclamou de braços abertos contra a marcação de uma falta e foi expulso, com cartão vermelho direto, aos 35 do segundo tempo. O árbitro Marco Guida, de 38 anos, natural de Pompeia, a 22 km de Napoli, advertiu três outros da Inter por falta dura, e o último cartão amarelo foi para Cristiano Ronaldo, aos 38, por falta no zagueiro Alessandro Bastoni, de 20 anos, o mais novo do jogo.

NOVE PONTOS – Com a terceira derrota, a Inter de Milão permanece em terceiro com 54, a nove pontos da líder Juventus e a oito pontos da vice-líder Lazio, de Roma, que tem o artilheiro do campeonato, Ciro Immobile, com 27, mais seis gols que Cristiano Ronaldo. Faltando doze rodadas e com jogos atrasados, em virtude da epidemia do coronavírus, o título está restrito à Lazio, campeã pela última vez com seu terceiro título em 1990-2000, e à Juventus, que tenta ampliar o recorde com o nono consecutivo.

Foto:  Vincenzo PINTO / AFP