Após a goleada de 4 x 0 no Equador, com 3 x 0 no primeiro tempo, o Uruguai se apresentou como favorito frente ao Japão, goleado por igual placar pelo Chile, mas sofreu para empatar (2 x 2), depois de duas vezes em desvantagem, na noite de ontem (20), na Arena Grêmio, em Porto Alegre. Sem receio algum de jogar em condições de igualdade, a jovem seleção japonesa, que se prepara para os Jogos Olímpicos de 2022 em seu país, foi uma surpresa bastante agradável.

ARTILHEIRO DA NOITE – Koji Miyoshi, de 22 anos, 1,67m, atacante do Yokohama Marinos, foi o artilheiro da noite de 22 graus em Porto Alegre. Fez 1 x 0 aos 24, com chute forte enviezado de pé direito, ao lado da pequena área. Luis Suarez empatou de pênalti aos 31. No segundo tempo,Koji Miyoshi marcou o segundo gol aos 13, aproveitando a rebatida do goleiro, e o zagueiro José Gimenez estabeleceu de cabeça, aos 21, após escanteio que Lodeiro bateu da esquerda, o placar final de 2 x 2.

NEM COM O VAR – As discussões continuam, e o futebol deixará de ser atrativo se acabarem, nem mesmo com o advento da tecnologia. No lance do pênalti, o árbitro não marcou a falta clara do zagueiro Naochime Ueda, que esticou a perna e deixou a sola para Cavani chutar. Convenceu-se ao fazer a revisão no árbitro de video. Luis Suarez, com a categoria habitual, basteu rasteiro no canto esquerdo, enquanto o goleiro Kawashima saltava para o outro lado. Foi o gol 58 em 109 jogos de Suarez pela seleção.

ESTREANTE – Andrés Rojas, de 34 anos, é o árbitro mais novo e estreou na Copa América. Em 2019 ele já havia estreado na Libertadores, em dois jogos em Belo Horizonte: em 27 de fevereiro, Atlético 0 x 0 Defensor, na fase pré-Libertadores, e em 8 de maio, Cruzeiro 1 x 2 Emelec, que tirou a invencibilidade do então melhor time brasileiro, já classificado. Rojas não influiu no resultado do jogo, de nível disciplinar elevado, e só fez duas advertências com cartão amarelo: ao zagueiro Naochime Ueda, pela falta no pênalti, e ao meia Nakajima por uma sola no zagueiro José Gimenez, aos 32 do segundo tempo.

GOLEIRO RECORDISTA – Fernando Muslera, que domingo passado (16) completou 33 anos, é argentino, mas seus pais, uruguaios, voltaram para Montevidéu quando tinha oito meses de nascido. Após só 12 jogos no modesto Danubio, foi em 2007 para Roma, comprado pela Lazio, que defendeu até 2011 em 114 jogos. Virou o goleiro mais caro da Turquia, ao ser comprado por 12 milhões de euros, em julho de 2011, pelo Galatasaray, que já defendeu em 327 jogos e é tricampeão nacional.

FERNANDO MUSLERA tornou-se no empate com o Japão o goleiro recordista de jogos (15) da Copa América, ao completar 110 jogos pela seleção, que espera defender até 2022, quando completará a quarta Copa do Mundo consecutivaa contar da primeira, em 2010, quando o Uruguai terminou em quarto lugar, melhor colocação desde que ganhou a Copa de 50 no Maracanã. Muslera foi campeão da Copa América de 2011, com 3 x 0 na final com o Paraguai.

GRANDE ORGULHO – Muslera faz questão de ressaltar a importância do trabalho de Taffarel, hoje aos 53 anos, seu treinador no Galatasaray, onde o goleiro da Copa de 94, quarta que o Brasil ganhou, e treinador de goleiros da seleção brasileira, trabalha desde 2011: “Foi uma grande coincidência ter começado com o Taffarel e sinto grande orgulho de ser treinado por ele. Eu tinha 18 anos quando o vi ganhar a Copa de 94, que acompanhei na televisão, e nem passava pela minha cabeça que um dia seria treinado por um dos melhores goleiros do mundo”.

URUGUAI – Muslera, Caceres, José Gimenez, Godin e Laxalt (Giovanni Gonzalez, 28 do primeiro tempo); Betancur, Torreira, Nandez (Arrascaeta, 15 do segundo tempo) e Lodeiro (Valverde, 28 do segundo tempo); Luis Suarez e Cavani. Técnico- Óscar Tabárez. Líder do Grupo C com 4 pontos, o Uruguai jogará segunda (24) com o Chile, vice-lider com 3 pontos, no Maracanã. Na mesma noite, o Japão, terceiro com 1 ponto, jogará no Mineirão com o Equador, último e ainda sem ponto.

JAPÃO – Kawashima, Sugioka, Itakura, Naochime Ueda e Tomiyasu; Iwata (Tatsuta, 42 do segundo tempo), Shibasaki, Miyoshi (Kubo, 37 do segundo tempo) e Nakajima; Abe (Aiasy Ueda, 22 do segundo tempo) e Okazaki. Técnico – Hajime Moriyasu. Japão x  Uruguai foi o quinto empate e o segundo 2 x 2 da Copa América 2019, sexto dos 11 jogos com gol no primeiro tempo. Os torcedores das duas seleções fizeram muita foto em frente à estátua do técnico Renato Gaúcho na entrada da Arena Grêmio.

Foto: Terra