O Atlético de Madrid venceu (1 x 0) o Liverpool, com o gol de Saul Ñiguez aos quatro minutos e vai ao jogo de volta, dia 11 de março, com a vantagem do empate para se classificar às quartas de final da Liga dos Campeões. Entre os 68.500 presentes ao estádio Wanda Metropolitano, na noite desta terça (18), o Rei Juan Carlos, de 82 anos; o técnico Luis Enrique, da seleção da Espanha, e o ex-atacante Fernando Tores, que jogou nos dois times.

ESCRITA MANTIDA – Desde fevereiro de 2011 no comando da equipe, Diego Simeone, técnico argentino de 49 anos – o mais bem pago do mundo -, manteve a escrita de não perder mata-mata da Liga dos Campeões, com a nona vitória em onze jogos e apenas dois gols sofridos. Simeone foi meia do Atlético de Atlético de Madrid em 145 jogos e campeão espanhol em 95-96 e depois como técnico em 2013-14, além de ter ganho duas vezes a Liga Europa.

TRÊS ANOS DEPOIS – Saul Ñiguez pagou dívida com a torcida depois de três anos. Em setembro de 2017, no Estádio Olímpico de Roma, ele perdeu o gol da classificação do Atlético, no 0 x 0 com a Roma, aos 48 do segundo tempo, acertando a trave com o goleiro Alisson caído. Saul usou sua conta nas redes sociais para se desculpar com os torcedores. Nesta (18), ele pagou a dívida com o gol, logo no início do jogo, marcado no mesmo goleiro.

PRIMEIRA DERROTA – Com 25 vitórias em 26 jogos na Premier League, o Liverpool sofreu a primeira derrota em 2020, o que o goleiro Alisson, titular da seleção brasileira, lamentou muito. Ele só não fez um jogo, cumprindo suspensão, e dos 25 ganhou 22 e empatou três. Alisson evitou que o Atlético de Madrid ampliasse a vantagem, com pelo menos três defesas daquelas consideradas impossíveis.

BOM RETORNO – Depois de dezesseis jogos fora, devido à cirurgia de hérnia de disco, em novembro, Diego Costa, atacante sergipano de 31 anos, naturalizado espanhol desde 2013, levou os torcedores ao delírio, ao completar 196 jogos com a camisa do Atlético de Madrid. Ele substituiu Ángel Correa aos 32 do segundo tempo e teve boa participação, obrigando Alisson à defesa mais difícil para evitar o segundo gol.

ATLÉTICO – Jan Oblak, Vrsaljko, Savic, Felipe e Renan Lodi; Thomas, Saul, Koke e Lemar (Llorente, intervalo); Ángel Correa (Diego Costa, 32 do segundo tempo) e Alvaro Morata (Vitolo, 25 do segundo tempo). Técnico – Diego Simeone. 10 vezes campeão espanhol, a última em 2013-14, o Atlético de Madrid nunca venceu a Champions League. No atual campeonato espanhol, quarto com 40 pontos, a 13 do líder Real Madrid (53).

LIVERPOOL – Alisson, Alexander-Arnold, Joe Gomez, Virgil van Dijk e Robertson; Fabinho, Henderson(James Milner, 35 do segundo tempo) e Wijnaldum; Salah (Oxalade-Chamberlain, 28 do segundo tempo), Firmino e Mané (Divock Origi, intervalo). Técnico – Jurgen Klopp, alemão de 52 anos, ex-zagueiro, dirige o time desde 2015, líder invicto da Premier League e atual campeão da Liga dos Campeões e Mundial de clubes, ao vencer(1 x 0) o Flamengo no Catar.

ABRAÇO ESPECIAL – O ex-atacante Fernando Torres, de 35 anos, marcou 132 gols em 410 jogos pelo Atlético, foi ao vestiário e deu um abraço especial em Saul Ñiguez pelo gol da vitória. Saul joga desde os 13 anos e nesta terça (18) completou 282 jogos com 37 gols, depois de ter passado pelas seis categorias, dosub-16 ao sub-21. Saul nasceu em Elche, comunidade de Valencia, tem 25 anos, e na seleção principal da Espanha marcou três gols em 19 jogos.

O MELHOR DO JOGO – A União Europeia de Futebol (Uefa), organizadora da Liga dos Campeões, criou a partir desta fase das oitavas de final o prêmio de melhor em campo. Renan Lodi, paulista de 21 anos, lateral-esquerdo do Atlético de Madrid desde julho de 2019, foi o ganhador, com atuação elogiada por todos os companheiros e o técnico Diego Simeone. Renan Lodi fez 5 gols em 69 jogos pelo Athletico Paranaense, de 2016 a 2019.

NÍVEL ELOGIADO – Luis Enrique Martinez, de 49 anos, técnico da seleção da Espanha, elogiou o nível de Atlético de Madrid 1 x 0 Liverpool. Ex-meia, campeão no Real Madrid e no Barcelona, também como técnico, ele disse ter visto o Atlético fazer um jogo de muita aplicação. O Rei Juan Carlos cumprimentou Luis Enrique e desejou sorte nas eliminatórias da Copa do Mundo de 2022. Poucos se lembram: o Rei da Espanha é italiano, nascido em 1938, em Roma, durante o exílio de seu avô.

Foto: Eric Verhoeven/Soccrates/Getty Images