O Liverpool, campeão europeu e mundial de clubes, teve que adiar a comemoração de campeão da Premier League, ao ficar no 0 x 0 com o Everton, neste domingo (21), no Goodison Park, onde Pelé e Garrincha fizeram juntos o último dos 40 jogos – 36 vitórias, 4 empates – pela seleção e marcaram os gols da única vitória (2 x 0 na Bulgária, em 18 de julho), na Copa do Mundo de 1966. Foi o clássico 236 da cidade portuária, onde nasceram The Beatles, no Noroeste inglês, a 354 km da capital Londres.

PODE REDUZIR – O segundo empate do Liverpool pode reduzir a diferença de pontos sobre o vice-líder Manchester City (83 a 60), que completa a trigésima rodada como favorito, amanhã (22), em seu estádio, diante do Burnley, décimo primeiro com 39. Com os 24 pontos restantes nas oito últimas rodadas, o Liverpool poderia ter sido campeão com antecedência, mas se ressentiu da falta de ritmo de 103 dias sem jogar, em virtude da pandemia do novo coronavírus.

SEM SALAH – O técnico alemão Jurgen Klopp manteve o egípcio Mohamed Salah na reserva, mesmo utilizando as cinco substituições permitidas pela FIFA até o fim da atual temporada. Salah é quem puxa os contra-ataques e disso a equipe se ressentiu, com o japonês Takumi Minamino no lugar dele, tanto que o substituiu pelo inglês Oxalade-Chamberlain, que não correspondeu. Também não foi boa a atuação de Roberto Firmino. Bem estiveram o goleiro Alisson e o volante Fabinho.

ESTATISTICA – Enquanto o goleiro Alisson, titular da seleção brasileira, fez boas defesas e desviou bem vários cruzamentos, e o volante Fabinho foi impecável na cobertura e no auxílio à defesa, o atacante Roberto Firmino só deu um chute, longe do gol.  Bom dizer: na estatistica do clássico de Merseyside – na tradução, ao lado do rio Mersey, na região central de Liverpool Firmino ainda não perdeu  6 vitórias, quarto empate , mas continuou sem fazer gol no décimo confronto com o grande rival.

RICHARLISON – O ex-atacante do Fluminense, convocado para os jogos mais recentes da seleção, criou poucas situações de gol, mas em uma assustou o goleiro Alisson, obrigando-o à defesa difícil, e na segunda, quase acertando o travessãoRicharlison tem a preferência do técnico Carlo Ancelotti, italiano de 61 anos, por jogar sempre no sentido vertical, na direção do gol.Jordan Pickfordgoleiro de 26 anos, 1,85m, foi pouco exigido, mas evitou dois gols do Liverpool.

PROTESTO – Antes do 0 x 0, jogadores do Everton e do Liverpool ficaram agachados no gramado, apoiando-se em apenas um joelho, para respeitar um minuto de silêncio pelas vítimas da pandemia do novo coronavírus e pela memória de George Floyd, negro afro-americano, morto em 25 de maio, por asfixia, por um policial branco em Minneapolis. O lateral Alexander-Arnold, do Liverpool, usou chuteira com a inscrição do lado direito Black Lives Matter (Vidas Negras Importam). 

SEM PÊNALTI – Apesar da reclamação discreta dos jogadores do Liverpool, o árbitro Martin Atkinson, de 49 anos, o mais antigo da Premier League, não considerou pênalti o lance em que a bola, chutada pelo meia Henderson, aos 25 do segundo tempo, bateu no braço do lateral-esquerdo francês Lucas Digne, possivelmente por ter sido um cruzamento que não estava indo na direção do gol. O primeiro jogo que o árbitro apitou no campeonato foi Manchester City 3 x 0 Birmingham, em 20 de abril de 2005.

Foto: Peter Powell/Reuters, Jon Super/Pool via REUTERS, Shaun Botterill/Reuters