Afeitos a tantos problemas, que só aumentam a cada rodada, com certeza os torcedores do Botafogo estão prontos para mais uma noite de angústia, embora esperando que o time, em vez de completar a oitava derrota consecutiva, inicie a reação para evitar 2002 e 2014, quando igualou, em rebaixamentos, os títulos de campeão de 1968 e 1995. Mesmo que continue no grupo dos quatro últimos, voltar a vencer já representa o alívio de sair do último lugar e de ser tratado pelo pejorativo de lanterna.

RESTARÃO 12 – Depois que Coritiba e Botafogo se enfrentarem na noite deste sábado (19), no estádio Couto Pereira, bem no centro do agradável bairro do Alto da Glória, na bela capital do Paraná, restarão 12 jogos a cada um para continuar tentando a salvação. O Botafogo visitará Vasco (São Januário), Santos, Fluminense (Maracanã), Palmeiras, Goiás e Ceará (última rodada), e receberá no estádio Nilton Santos, Corinthians, Athletico Paranaense, Atlético Goianiense, Sport, Grêmio e São Paulo.

COMPLICADO – O Coritiba também terá roteiro bem complicado para escapar da sexta queda, depois de ter sido rebaixado em 1989, 1993, 2005, 2009 e 2017. Seus seis jogos restantes, em casa, serão com Goiás, Athletico Paranaense, Fluminense, Grêmio, Palmeiras e Ceará, e possivelmente, ainda mais difíceis os seis como visitante: Atlético Mineiro, no próximo sábado (26), Vasco, São Paulo, Fortaleza, Santos e Atlético Goianiense (última rodada).

A VANTAGEM – Se vencer, o Coritiba se manterá em décimo oitavo com 24 pontos, e ficará só 1 ponto atrás do Vasco (25), que também não sairá do rebaixamento, mesmo que vença o Santos, amanhã (20), em São Januário, e que o Sport, com 28 pontos, perca hoje (19) para o Grêmio. O Vasco empataria em pontos, mas o Sport tem mais vitórias que o Vasco. Será, precisamente no primeiro quesito de desempate, a vantagem do Coritiba, que ficaria com 6 vitórias, o dobro do Botafogo.

ASSUSTADOR – O retrospecto do Botafogo é assustador, desde a terceira e última vitória – única como visitante -, 2 x 1 sobre o Sport, na décima quinta rodada, dia 11 de outubro. Desde então, o muito que conseguiu, nas últimas rodadas do turno, foi empatar com o Ceará (2 x 2) e Goiás (0 x 0), perdendo para o Grêmio (3 x 1) e São Paulo (4 x 0). O Botafogo perdeu todos os cinco jogos do returno, dois de virada: Internacional e Bragantino (2 x 1), Atlético Mineiro, Fortaleza, e Flamengo (1 x 0).

POUCO MELHOR – O Coritiba venceu pela última vez, na última rodada do turno – 1 x 0, em casa, sobre o Atlético Goianiense -, dia 31 de outubro, mas seu retrospecto é um pouco melhor que o do Botafogo. Nos cinco jogos do returno, 0 x 0 com o Bragantino, e derrotas para Sport e Corinthians (1 x 0), Flamengo (3 x 1) e a virada (2 x 1) que levou do Bahia. O Coritiba entra empatado com o Botafogo em número (4) de jogadores pendurados com dois cartões amarelos.

REENCONTRO – Coritiba x Botafogo marca o reencontro do técnico carioca Eduardo Barroca, de 38 anos, com o Coritiba, que dirigiu em 22 jogos – 11 vitórias, 8 derrotas, 3 empates -, entre 20 de dezembro de 2019 e 20 de agosto de 2020. Botafoguense de coração, Barroca se mostra apreensivo e tenso com a situação. Ele tem confidenciado aos amigos mais próximos, que “não evitar o rebaixamento do Botafogo seria o momento mais triste e doloroso da sua vida profissional”.

O ÍDOLO – O ex-atacante Pachequinho, de 50 anos, hoje treinador, não foi campeão como jogador, entre 90 e 96, mas tornou-se ídolo da torcida do Coritiba como artilheiro de 94 e técnico campeão paranaense de 2017, seu único título. Ambidestro, rápido, bom driblador, fez gol de bicicleta com o pé direito e gol olímpico com o pé esquerdo. Levou muito pontapé, fez três cirurgias nos joelhos, parou em 2000 aos 30 anos. Foi assistente de Paulo Cesar Carpegiani e resume: “Aprendi muito com ele”.

ÁRBITRO FIFA – Luiz Flavio Oliveira, de 43 anos, da Federação Paulista, apitará Coritiba x Botafogo, como um dos quatro árbitros FIFA escalados na rodada. Ele dirigiu a final do Campeonato Paulista de 2020, em que depois de 1 x 1 e 0 x 0, o Palmeiras ganhou do Corinthians nos pênaltis (4 x 3). O Coritiba terá o retorno do meia Giovanni Augusto e do atacante Ricardo Oliveira, e o Botafogo não contará com o lateral Victor Luis e o meia Bruno Nazario, suspensos. O atacante africano Kalou será titular.

Foto: Vitor Silva/Botafogo