Com atuação digna de um grande campeão, o Manaus FC venceu (3 x 0) o Caxias, do Rio Grande do Sul, na tarde de ontem (20), diante de 45 mil torcedores na Arena da Amazônia – maior palco de futebol do Norte – e recolocou o futebol amazonense, vinte anos depois, na Série C do Campeonato Brasileiro. O Manaus havia perdido (1 x 0) o jogo de ida em Caxias do Sul e precisava vencer por dois gols. Foi além e fez 3 x 0, com Rossíni aos 26 e aos 41, e Mateus Oliveira, nos acréscimos, aos 47 minutos, todos no segundo tempo de um jogo disputado sob intensa vibração do início ao fim.

OS CAMPEÕES – Jonathan, Igor, Tiago Spice, Patrick Borges (Marcio Passos) e Negueba (Evair); Panda, Derlan e Hamilton; Rossíni, Diego Dolem (Vitinho) e Mateus Oliveira. Técnico – Wellington Fajardo, 57 anos, mineiro de Leopoldina, que já havia dirigido o Tupi de Juiz de Fora, Francana, Uberlândia e o Patrocinense. O tricolor amazonense é branco, preto e verde, cor símbolo da Floresta Amazônica.  Giovanni Silva é o presidente do Manaus FC, fundado em 5 de maio de 2013.

PÚBLICO RECORDE – Arena da Amazônia, única sede da segunda Copa do Mundo no Brasil, em 2014, registrou em Manaus 3 x 0 Caxias o recorde de público pagante de sua história:44.121, mas o público total passou de 45 mil. Os torcedores viveram a semana de preparação com muito incentivo ao time, que em 2018 deixou de ganhar a Série D, ao perder nos pênaltis para o Imperatriz, do Maranhão. O árbitro Braulio Machado, de Santa Catarina, teve atuação correta e elogiou os torcedores amazonenses. No final, expulsou o lateral Eduardo Diniz, do Caxias, e Patrick Borges e Rossini.

DIOGO DOLEM – O atacante carioca Diogo Dolem, de 27 anos, 1,74m, destro, um dos ídolos da torcida do Manaus, teve que ser levado de ambulância para o hospital, após um soco do goleiro Lee Oliveira na cabeça, em lance normal, mas logo se recuperou. Lee, de 30 anos, jogou em times de Portugal e do Irã, e evitou, com boas defesas, que o Manaus tivesse vitória mais ampla. Time do Caxias – Lee, Muriel, Jean, Tiago Sales e Eduardo Diniz; Marabá, Foguinho, Rafael Gava (Diego Miranda) e Wagner; Taiberson (Marcio Jonathan) e Michel. Técnico – Paulo Henrique Marques, 54 anos, gaúcho, assumiu em 2019.

O MAIS NOVO – Manaus é o clube mais novo do Amazonas, fundado em 5 de maio de 2013 e seu mascote é o Gavião Real. Atual tricampeão amazonense – 2017-18-19 -, no ano de sua fundação ganhou a Série B e desde então sua evolução no futebol tem sido maior a cada ano. Nasceu de uma cisão de dirigentes do Nacional FC – recordista estadual de títulos -, à frente o médico Luis Mitoso, presidente campeão em 2012. A escolha foi em homenagem à capital do maior estado do país, uma das poucas até então sem o nome de um clube. O grande objetivo do Manaus FC é a Série A em 2022, ano da próxima Copa do Mundo.