Escolha uma Página

O MINISTÉRIO PÚBLICO da Espanha emitiu hoje (20) um mandado de prisão contra Luis Rubiales, afastado da presidência da Real Federação Espanhola de Futebol, desde 10 de setembro de 2023, por irregularidades administrativas. Ele se tornou mais conhecido após beijar na boca a jogadora Jennifer Hermoso, quando a Espanha ganhou a Copa do Mundo Feminina, no domingo, 20 de agosto de 2023.

O MANDADO DE PRISÃO e as buscas da Polícia Federal na sede da Real Federação Espanhola de Futebol causaram grande impacto, não só no futebol, mas em todos os setores do país, com repercussão mundial imediata, via internet. Rubiales está em Santo Domingo, capital da República Dominicana, país do Caribe, na ilha de Hispaniola, que não tem tratado de extradição com a Espanha.

EX-PRESIDENTE do Sindicato dos Jogadores da Espanha (2010), Luis Rubiales foi eleito presidente da Real Federação Espanhola de Futebol em 2018, e desde então se envolveu em problemas. Em 2020 foi acusado publicamente, pelo próprio tio, de pagar uma festa luxuosa com 10 jovens mulheres, com dinheiro da Federação, na cidade praiana de Ibiza, e em 2022, em caso ainda sob investigação do governo, de propina da Arábia Saudita para a decisão da Supercopa da Espanha ser disputada na capital Riad.

O PRESIDENTE DA FIFA logo se pronunciou: “A Real Federação Espanhola de Futebol está entre as mais importantes e conceituadas do mundo e a Fifa lamenta o que tenha passado hoje (20)”. Gianni Infantino disse que “o caso exige solução rápida porque em dezembro a Fifa deve confirmar Espanha, Portugal e Marrocos como sedes da Copa de 2030, “desde que a Espanha esteja sem problema”.

DESDE QUE O CARIOCA João Havelange (8/5/1916 – 16/8/2016), assumiu em 1974, como 7º presidente, até 1988, organizando seis Copas do Mundo, a Fifa passou a ter mais filiados (211) que a ONU (193), e manteve a linha: “A Fifa não pede para que nenhuma Associação se filie, mas todas as que quiserem se filiar terão que cumprir as normas e as exigências da Fifa”.

BOM LEMBRAR: três ex-presidentes da Confederação Brasileira de Futebol (CBF) foram sumariamente afastados por conduta irregular, e um deles o paulista José Maria Marin, hoje aos 91 anos, banido pela Fifa em 27 de maio de 2015; condenado por seis crimes pelo Tribunal Federal do Brooklyn (Nova York) e preso até 30 de março de 2020, quando devolveu milhões de dólares.

OS OUTROS BANIDOS foram o mineiro Ricardo Teixeira, hoje aos 76 anos, 18º presidente da CBF, com mais tempo no cargo – 16/1/1989 – 12/3/2012) -, acusado de financiar campanhas políticas para defender seus interesses no Congresso Nacional. Na volta da Copa de 94 tentou não pagar impostos do material que trouxe dos Estados Unidos para sua choperia El Turfe. Teixeira foi banido pela Fifa em 29/11/2019 e pagou multa de um milhão de francos suíços.

TAMBÉM POR SUBORNO E CORRUPÇÃO, o paulista Marco Antonio Del Nero, hoje aos 83 anos, foi banido do futebol em 15 de dezembro de 2017 pelo Comitê de Ética da Fifa, por suborno e corrupção. Desde 2015 não saiu mais do país, com medo de ser preso, tal como acontece com Ricardo Teixeira.

Foto: Levante / EMV e EBC